Arquivo da categoria: ARTIGOS

Artigo – Fernandinho lança CD “Galileu”


Fernandinho lança CD “Galileu” com canções inéditas

fernandinhO disco foi gravado ao vivo no Rio de Janeiro e conta com muitos convidados especiais.

Cantor Fernandinho lança o CD “Galileu” pela Onimusic, um projeto recheado de canções inéditas compostas pelo próprio cantor que busca inspiração divina para trazer canções que marcam a vida dos ouvintes.

“Nesse novo trabalho, minha alma clama pelo evangelho simples que fala da morte, da ressurreição e da volta de Jesus. Não há tempo de nos distrairmos com as coisas desse mundo e não termos um encontro real com Cristo”, disse o cantor.

Fernandinho preparou canções que falam sobre Jesus e Sua obra. Sobre o título do trabalho a gravadora explica: “Jesus é O Galileu e nós somos seus discípulos. Não importa onde nascemos ou onde estamos. O que precisamos é buscar nossa identidade nEle. Que deixemos de dar maior ênfase às ‘estratégias’ e ‘visões’ que nos cercam e olhemos pra Jesus, autor e consumador da nossa fé… A Ele sejam todo louvor, honra, glória e poder para sempre.”

Neste CD Fernandinho escolheu 14 músicas e chamou alguns convidados especiais para participarem da gravação que aconteceu no dia 23 de maio no Rio de Janeiro.

Entre os convidados temos Juninho Afran em “Dono do Mundo” e a regravação de “Yeshua” na voz de Kim Walker, do Ministério Jesus Culture. O CD também teve uma grande contribuição dos músicos Michael John Dodson (Mike) e Daniel Jeremy Bush (BWack) da Banda americana The Digital Age.

 

Obrigado pela leitura deste post. Visite a Página Inicial –CLIQUE AQUI

Artigo – Dicas para aproveitar melhor a leitura da Bíblia


Dicas para aproveitar melhor a leitura da Bíblia

bibliaMatemática se estuda fazendo cálculos. Português, com leitura e redação. Inglês, com listening espeaking. E a Bíblia? Este artigo vai ensinar a você cinco passos para interpretar corretamente o Livro Sagrado.

Ore

Ninguém melhor para explicar um livro do que o seu autor. Antes de estudar uma passagem da Bíblia, peça a iluminação dAquele que a inspirou. Depois, ore agradecendo as bênçãos recebidas por meio do estudo e peça forças para praticar o que aprendeu.

Deixe a Bíblia interpretar a si mesma

Antes de buscar ajuda de fora – de algum livro ou professor – procure outros textos bíblicos que esclareçam o que você selecionou. Para isso, veja se sua Bíblia tem umas letrinhas sobrescritas no texto e referências no rodapé da página ou na coluna do meio. Se você procurar as passagens indicadas, descobrirá mais informação sobre o assunto. Bíblias de estudo, concordâncias e dicionários bíblicos são ferramentas que podem ajudar.

Analise o contexto

Há um ditado que diz que “um texto fora do contexto vira um pretexto”. Ao estudar as Escrituras, leve em consideração o capítulo e o livro em que se encontra o trecho que você escolheu, bem como os versos que estão antes dele e os que vêm depois. Com a ajuda de um comentário bíblico, procure entender quem escreveu e quando, onde, para quem e por que escreveu. Procure também descobrir o que acontecia na época em que o texto foi escrito.

Compare

A Bíblia é uma só, mas sua linguagem depende da tradução. Se você tiver dificuldade em compreender o vocabulário mais clássico de versões como a Almeida Revista e Corrigida e a Revista e Atualizada (SBB), opte por versões contemporâneas como a NVI (Bíblica Brasil) e a Almeida Século 21 (Vida Nova). Compare várias versões para ter uma compreensão mais ampla do texto.

Aplique

Não adianta nada conhecer a Bíblia de capa a capa e não viver o que ela ensina. Após o estudo, pergunte a si mesmo: Que lições posso extrair deste texto? Diante disso, o que devo fazer? Anote suas respostas nas margens da página ou em um caderno e releia periodicamente o que você escreveu. Isso ajudará você a não perder o foco.

Fontes: George W. Reid (ed.), Compreendendo as Escrituras (Unaspress, 2007); Roy Zuck, A Interpretação Bíblica (Vida Nova, 1994); Hermenêutica” (anotações de classe, 2009).

 

Obrigado pela leitura deste post. Visite a Página Inicial –CLIQUE AQUI

Frases e Pensamentos Que Edificam


FRASES E PENSAMENTOS QUE EDIFICAM

Pare-e-pense“Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida” (Jesus Cristo).

“Há lágrimas em nossos olhos que ninguém vê, somente Deus, porque quando choramos estas lágrimas descem para nossa alma e se transformam em gemidos inexprimíveis diante do Senhor .” (Josenildo Oliveira).

“Há momentos em nossas vidas que parece não existir nenhuma saída, mas Deus sempre nos mostra uma saída quando nos parece não existir nenhuma, foi assim com Israel quando cercado por monhanhas, desertos e o exército de Faráó, Deus abriu um caminho em meio ao mar.” (Josenildo Oliveira)

“Só há duas espécies de pessoas no final: os que dizem a Deus, ‘Seja feita a Tua vontade’, e aqueles a quem Deus diz: ‘A tua vontade seja feita’. Todos os que estão no inferno foi porque o escolheram. Sem esta auto-escolha não haveria inferno. Alma alguma que desejar sincera e constantemente a alegria irá perdê-la. Os que buscam encontram. Para aqueles que batem a porta é aberta” (C. S. Lewis, em “O grande abismo – um sonho” pág 44).

“Ah! Como gostaria de te conhecer tal como sou por ti conhecido, ó conhecedor de mim!” (Agostinho).

“As estrelas não precisam da escuridão para existir, mas sem dúvida precisamos da escuridão para vê-las” (Alister McGrath).

“Deus se acomoda a nossa fraqueza” (Calvino).

“Se você conseguir entender algo, isso não é Deus!” (Agostinho).

“É necessário ver a dúvida no contexto adequado: o da nossa luta contra o pecado!” (Alister McGrath).

“Fui salvo da penalidade do pecado, estou sendo salvo do poder do pecado e um dia serei salvo da presença do pecado” (Lutero).

“Se o homem começar com certezas, terminará com dúvidas; mas se ele se contentar em começar com dúvidas, acabará com certezas” (Francis Bacon).

“A dúvida não é apenas um resultado da Queda. Ela é reflexo de nossa fragilidade” (Jonas Madureira).

“A dúvida também pode ser o caminho pelo qual o Espírito nos põe de joelhos (Jo 20.25-28)” (Jonas Madureira).

“Não a dúvida metódica, cartesiana, cética, mas sim a dúvida que nos conscientiza de nossa insuficiência, miséria, ignorância e necessidade”. (Jonas Madureira).

“Nossa cultura da dúvida é também a cultura do anseio, que sabe que procura alguma coisa que ainda não encontrou” (Ravi Zacharias).

“Tornamo-nos maiores quando nos curvamos e menores quando ensinamos” (G. K. Chesterton).

“Às vezes Deus parece tão distante, tão inalcançavel. Todavia, se pudermos crer, E le está mais perto do que jamais imaginamos!” (Ronaldo Guedes Beserra).

“Um pouco de filosofia induz a mente humana ao ateísmo, mas a filosofia profunda conduz a mente humana a Deus” (Francis Bacon).

“A autoridade exercida com humildade e a obediência aceita com alegria são as diretrizes pelas quais vive o nosso espírito” (C. S. Lewis).

“Leitura e meditação nas Escrituras, obediência às mesmas e oração, são formas práticas de darmos expressão à nossa fé”. (Ronaldo Guedes Beserra).

“Nós não temos a dimensão do quanto precisamos da Graça de Deus! Nós não temos a dimensão do quanto é grande a Graça de Deus!” (Ronaldo Guedes Beserra).

“Todo poder corrompe, e o poder absoluto corrompe absolutamente” (Lorde Acton).

“A obediência é o caminho da libe rdade, a humildade, o caminho do prazer e a unidade, o caminho que conduz à personalidade” (C. S. Lewis).

“Deus sussurra e fala à consciência através do prazer, mas grita-lhe por meio da dor: a dor é o seu megafone para despertar um mundo adormecido” (C. S. Lewis).

“A verdeira fé não busca tanto manipular a Deus para que faça a nossa vontade quanto busca nos posicionar para que façamos sua vontade” (Philip Yancey em “Decepcionado com Deus”).

“Se as respostas às perguntas da vida são absolutamente necessárias para você, então esqueça a viagem. Você nunca chegará lá, pois esta é uma viagem de incógnitas, de perguntas sem resposta, de enigmas, de coisas incompreensíveis e, principalmente, injustas” (Madame Jeanne Guyon).

“Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima” (Louis Pasteur).

“Acho impossível que um indivíduo contemplando o céu possa dizer que não existe um Criador” (Abraham Lincoln).

“Os quatro Evangelhos, todos eles, dão-nos o retrato de uma personalidade muito definida, obrigando-nos a dizer: ‘Esse homem existiu. Isso não pode ser inventado’” (H. G. Wells).

“Achar que o mundo não tem um criador é o mesmo que afirmar que um dicionário é o resultado de uma explosão numa tipografia” (Benjamin Franklin).

“Nunca oro suplicando cargas mais leves, mas ombros mais fortes” (Phillips Brooks).

“Do meu telescópio, eu via Deus caminhar! A maravilha, a harmonia e a organização do universo só pode ter se efetuado conforme um plano de um ser todo-poderoso e onisciente” (Isaac Newton).

“Ninguém pode negar o fato de que Jesus existiu, nem que seus ensinamentos sejam belos. Ainda que alguns deles tenham sido proferidos antes, ninguém os expressou tão divinamente” (Albert Einstein).

“Deus é a lei e o legislador do Universo” (Albert Einstein).

Friedrich Nietzsche, chamado “o grande filósofo do ateísmo”, escreveu a um amigo sobre a pessoa de Jesus Cristo: “Eu sei que, se não O encontrar, não terei repostas para minha vida.” E no final de sua vida, durante a qual rejeitou a Cristo, ele escreveu: “Ai daquele que não tem lar!” (Friedrich Nietzsche).

“Se eu a coloco abaixo de todos os livros, ela é a que mantém todos eles, se eu a coloco no meio dos outros livros, ela é a coração desses livros, e se eu a coloco em cima dos outros livros, ela é a cabeça e autoridade de todos os livros em minha biblioteca” (Rui Barbosa sobre a Bíblia).

Pasteur, importante médico e cientista francês, formulou assim sua opinião acerca da divindade de Jesus: “Em nome da ciência eu proclamo a Jesus Cristo como Filho de Deus. Meu senso científico, que valoriza muito a relação entre causa e efeito, compromete-me a aceitá-lo como fato. Minha necessidade de adorar encontra nEle a mais plena satisfação” (Louis Pasteur).

“Eu quero saber como Deus criou este mundo. Eu não estou interessado neste ou naquele fenômeno, no espectro deste ou daquele elemento. Eu quero saber os pensamentos dele; o resto são detalhes” (Albert Einstein).

“A Física moderna leva-nos necessariamente a Deus” (Arthur Eddington).

“Quem procura a verdade procura Deus, ainda que não o saiba”
(Edith Stein).

“Há dois tipos de pessoas: as que têm medo de perder Deus e as que têm medo de O encontrar” (Pascal).

“É um cientista bem medíocre aquele que pretende poder passar sem fé ou sem Deus!” (Werner Von Braun, criador dos foguetes que levaram o homem à lua).

“O que o homem pode fazer de melhor para a sua felicidade é pôr-se em harmonia constante com Deus por meio de súplicas e orações” (Platão).

“Deus opera em nós e através de nós, apesar de nós” (Ronaldo Guedes Beserra).

“Fé é a atitude de agir, de viver, de acordo com aquilo em que se decidiu crer, de acordo com aquilo em que se acredita” (Ronaldo Guedes Beserra).

“Fé é uma convicção interior que surge de uma crença que não pode ser provada empiricamente” (Ronaldo Guedes Beserra).

“Um general americano (Norman Scwartzkopof) certa vez explicou a diferença entre os dois principais ingredientes do típico café da manhã americano: o bacon e os ovos. A galinha ENVOLVEU-SE, pois deu os ovos, mas o porco COMPROMETEU-SE, pois teve que dar a sua vida”.

“Um marco de minha vida foi a leitura de uma frase d’Os Irmãos Karamazov’: ‘Se Deus não existe, tudo é permitido’. Sartre tirou essa dúvida, porque a frase é duvidosa. Ele disse: ‘Deus não existe, portanto tudo é permitido’. Eu tirei a conclusão contrária, eu digo que nem tudo é permitido e portanto Deus existe. Ou a norma moral tem um fundamento absoluto, ou ficaria ao sabor da opinião individual de todo mundo, inclusive de estupradores e assassinos” (Ariano Suassuna em entrevista à Folha em 2012).

“Vocês podem fazer coisas que eu não posso e eu posso fazer coisas que vocês não podem, mas juntos podemos fazer grandes coisas” (Madre Tereza).

“Se você fizer uma tentativa, terá ao menos uma chance de conseguir; se você não fizer nenhuma tentativa não terá nenhuma chance de conseguir!” (Ronaldo Guedes Beserra).

“O grande milagre central da história deixou-se sobressair em toda a sua grandeza, o supremo paradoxo, Deus e o homem numa só pessoa” (Louis Berkhof).

“Henri Nouwen define ‘comunidade’ como o lugar onde a pessoa com quem menos desejamos estar sempre está. Muitas vezes nos cercamos de gente com quem mais queremos conviver, e isso forma um clube ou uma panelinha, não uma comunidade. Qualquer um pode formar um clube; exige-se graça, visão compartilhada e trabalho duro para formar uma comunidade” (Philip Yancey, Sinais de Graça).

“Posso não concordar com o que você faz, mas lutarei até a morte pelo seu direito de continuar fazendo” (Voltaire).

“Quando não negamos nem escondemos nossas fraquezas, as pessoas sentem-se mais próximas de nós. A vulnerabilidade convida as pessoas a entrar, permite que elas se identifiquem conosco e sintam-se confortáveis perto de nós. A graça nos capacita a admitir nossas dificuldades” (Chuck Swindoll, O Despertar da Graça).

“O cristão é o mais livre senhor de todos, não sujeito a ninguém; O cristão é o mais dócil servo de todos, sujeito a todos” (Martinho Lutero, Tratado da Liberdade do Cristão).

“Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, no que respeita ao universo, ainda não adquiri a certeza absoluta” (Albert Einstein).

“Concede-me Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar, coragem para modificar aquelas que posso, e sabedoria para distinguir umas das outras” (Reinhold Niebuhr).

“O elevador para o sucesso está quebrado. Você terá de usar as escadas, portanto: um degrau de cada vez” (Joe Girard).

“Se você encontrar um caminho sem obstáculos, ele provavelmente não o levará a lugar algum” (Frank A. Clark).

“NÃO SEI O SEGREDO DO SUCESSO, MAS O DO FRACASSO É TENTAR AGRADAR A TODAS AS PESSOAS” (RICK WARREN).

“VOCÊ NÃO PODE FAZER SEMPRE AS MESMAS COISAS E ESPERAR POR NOVOS E DIFERENTES RESULTADOS. ARRISQUE! FAÇA O QUE NUNCA FOI FEITO, E VOCÊ VERÁ RESULTADOS NUNCA ALCANÇADOS” (CARITO PAES).

“NÃO SÃO AS PARTES DA BÍBLIA QUE NÃO COMPREENDO QUE ME PREOCUPAM, MAS, SIM, AS QUE ENTENDO E NÃO PRATICO” (MARK TWAIN).

“O REINO DE DEUS CRESCERÁ NA TERRA QUANDO A IGREJA CRIAR UMA SOCIEDADE ALTERNATIVA, DEMONSTRANDO O QUE O MUNDO NÃO É, MAS UM DIA SERÁ … UMA SOCIEDADE QUE RECEBE PESSOAS DE TODAS AS RAÇAS E DE TODAS AS CLASSES SOCIAIS, QUE SE CARACTERIZA PELO AMOR E NÃO PELA POLARIZAÇÃO, QUE SE INTERESSA MAIS PELOS SEUS MEMBROS MAIS FRACOS, QUE DEFENDE A JUSTIÇA E O DIREITO NUM MUNDO APAIXONADO PELO EGOÍSMO E PELA DECADÊNCIA, UMA SOCIEDADE NA QUAL OS MEMBROS COMPETEM PELO PRIVILÉGIO DE SERVIR UNS AOS OUTROS … NÓS, NA IGREJA, OS SUCESSORES DE JESUS, FOMOS DEIXADOS COM A TAREFA DE APRESENTAR OS SINAIS DO REINO DE DEUS …” (P. YANCEY).

“IGREJAS QUE PREVALECEM … SÃO RECONHECIDAS PELA SOCIEDADE NÃO APENAS PELO QUE SÃO CONTRA, MAS PELO QUE SÃO A FAVOR … SÃO CARACTERIZADAS PELO AMOR … APLICAM A DISCIPLINA BÍBLICA AOS MEMBROS E CONDENAM O PECADO, MAS ACOLHEM OS PECADORES ARREPENDIDOS DE FORMA AMIGA E FRATERNA … SÃO SOLIDÁRIAS, AMOROSAS E INCLUSIVAS. ELAS MILITAM CONTRA O RACISMO, OS PRECONCEITOS E AS INJUSTIÇAS, E ABENÇOAM A TODOS, SEM DISTINÇÃO DE RAÇA E CONDIÇÃO SOCIAL, MEDIANTE A GRAÇA REDENTORA DE JESUS” (CARLITO PAES, LIVRO: IGREJAS QUE PREVALECEM).

“Se você não gosta de algo, mude-o. Se não puder mudá-lo, mude sua atitude. Não se queixe” (Maya Angelou).

“Nossa percepção dos outros depende mais de nossa atitude do que das características dos que nos cercam. Se formos positivos, nós os vemos de modo positivo” (J. Maxwell).

“Não é triste mudar de idéias, triste é não ter idéias para mudar” (Barão de Itararé).

“As maiores coisas do mundo e as mais belas não podem ser vistas e nem sequer tocadas. Devem ser sentidas com o coração” (Hellen Keller).

“Todos precisam da beleza na mesma medida em que precisam de pão, locais de lazer e de prece, onde a Natureza possa curar, alegrar e fortalecer corpo e mente” (John Muir).

“A arquitetura é a arte que dispõe e adorna de tal forma as construções erguidas pelo homem, para qualquer uso, que vê-las pode contribuir para sua saúde mental, poder e prazer” (John Ruskin).

“Quando os homens se tornam materialistas, sem importar se o fazem por motivos capitalistas ou por motivos comunistas, eles já abandonaram a essência de seu próprio ser, e seus sistemas tornam-se incapazes de satisfazer às necessidades e desejos comuns a todos os homens” (R. N. Champlin).

“A frustração surge quando alguma coisa além do seu controle destrói e anula completamente seus planos. Contudo você pode dar à energia dessa frustração uma direção positiva” (Phill Adams).

“Ao enfrentar uma montanha, não desistirei. Continuarei lutando até que possa passar por cima dela, encontrar um caminho através dela, um túnel por baixo dela, ou simplesmente permanecer onde estou e transformar a montanha numa mina de ouro! Com a ajuda de Deus!” (R. Schuller).

“Vivamos um dia de cada vez, façamos uma coisa de cada vez!” (Ronaldo Guedes Beserra).

“As pessoas não querem conviver com indivíduos perfeitos, até porque ninguém é perfeito. As pessoas querem conviver com indivíduos humildes, capazes de reconhecer quando erram, capazes de se retratarem quando necessário!” (Ronaldo Guedes Beserra).

“Um líder tem de ter otimismo contagioso e determinação a fim de perseverar em face das dificuldades. Ele precisa irradiar confiança, depender de princípios morais e espirituais e recursos para dar certo mesmo quando ele próprio não está muito certo do resultado” (Montgomery).

“Se o sistema solar foi criado por uma colisão estelar acidental, então o aparecimento da vida orgânica neste planeta foi também um acidente, e toda a evolução do Homem foi um acidente também. Se é assim, então todos nossos pensamentos atuais são meros acidentes – o subproduto acidental de um movimento de átomos. E isso é verdade para os pensamentos dos materialistas e astrônomos, como para todos nós. Mas se os pensamentos deles – isto é, do Materialismo e da Astronomia – são meros subprodutos acidentais, por que devemos considerá-los verdadeiros? Não vejo razão para acreditarmos que um acidente deva ser capaz de me proporcionar o entendimento sobre todos os outros acidentes. É como esperar que a forma acidental tomada pelo leite esparramado pelo chão, quando você deixa cair a jarra, pudesse explicar como a jarra foi feita e porque ela caiu” (C. S. Lewis).

“O sofrimento nunca será insignificante, porque o próprio Deus o compartilhou.” Philip Yancey (Onde está Deus quando chega a dor?)

“Quando Deus nos tira alguma coisa, Ele não está nos punindo, simplesmente está abrindo nossas mãos para que tenhamos como receber algo melhor” Autor desconhecido

“Deus chora conosco para que possamos um dia rir com ele”. Jürgen Moltmann

“Nada está fora do alcance da oração, exceto o que está fora da vontade de Deus”. Autor desconhecido

“Deus lhe deu um presente de 86.400 segundos hoje. Você usou um para dizer obrigado?” (William Arthur Ward)

“Ao longo da vida pessoas o deixarão furioso, o desrespeitarão e o tratarão mal. Deixe Deus lidar com as coisas que eles fazem; causar ódio em seu coração o consumirá também.” (Will Smith)

“Deus é a plenitude do céu, o amor é a plenitude do homem.” (Victor Hugo)

“O que nós somos é o presente de Deus a nós. O que nós nos tornamos é nosso presente a Deus.” (Eleanor Powell)

“De todos os confortos criados, Deus é quem empresta; você é aquele que pede emprestado, não o dono.” (Samuel Rutherford)

“Deus faz três pedidos para seus filhos: Faça o melhor que você puder, onde você estiver, com o que você tiver, agora.” (Provérbio Afro-americano)

“Nós consideramos Deus como um piloto considera o pára-quedas dele; está lá para emergências mas ele espera nunca ter que usá-lo.” (C. S. Lewis)

“Deus é a evidência invisível.” (Victor Hugo)

“Uma razão para que Deus tenha criado o tempo é para que houvesse um lugar para enterrar os fracassos do passado. (Autor desconhecido)

“Oração é quando você fala com Deus; meditação é quando você escuta Deus.” (Diana Robinson)

 

Artigo_ O Que é Um Discípulo?


O Que é um Discípulo?

Antes de falarmos sobre o que é um discípulo, vamos observar esta ordem clara que o Senhor Jesus nos deu: “E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.” Mt 28:18-20

Esta foi a última palavra de Jesus aos seus discípulos. Até parece que este é o ponto mais alto do Novo Testamento. É como se o senhor estivesse todo o tempo preparando o terreno para dar esta palavra. Depois de fazer tudo o que o Pai lhe encomendara, finalmente o Senhor podia dar esta ordem: “…Fazei discípulos de todas as nações…”.

Podemos negligenciar este mandamento? Ou podemos fazê-lo de qualquer jeito, ou da maneira que acharmos melhor? NÃO. Devemos Buscar com toda diligência e procurar entender bem. O Senhor ressuscitado nos deu uma ordem e devemos cumpri-la a risca.

O Senhor não nos mandou juntar gente para fazer reuniões. As reuniões são importantes, assim como a cura dos enfermos. Os sermões tem o seu lugar, e certamente devemos cantar e louvar. Contudo o fundamental é fazer discípulos. A não ser que isto seja bem entendido, todas as outras coisas importantes serão a casca de uma fruta oca. Serão um amontoado de atividades sem propósito e sem valor eterno.

O que é um discípulo?

Comecemos com uma declaração objetiva:

Um discípulo é alguém que crê em tudo que Cristo disse e faz tudo que Cristo manda.

É importante entender que no contexto do Novo Testamento não existe ninguém que seja convertido e não seja um discípulo. Convertido, salvo, discípulo, são todos termos que se referem a uma mesma pessoa, sendo que, cada termo salienta um aspecto diferente da vida ou experiência desta pessoa:

  • Salvo: o que foi liberto da condenação e do poder do pecado.
  • Convertido: que passou por uma transformação de mente.
  • Discípulo: seguidor, praticante dos ensinos do mestre, submisso.
  • Crente: que crê

Cada um desses termos tem um significado diferente, mas todos eles são aplicados a uma mesma pessoa. Se não entendermos isso, viveremos em confusão. Porque ?

Porque é comum encontrarmos pessoas que se dizem convertidas, crêem sinceramente que são salvas, mas que, contraditóriamente a isto, dizem que seu alvo é serem submissas a Cristo. O seu desejo é “um dia” serem consagradas e totalmente entregues ao Senhor.

Ora isso é uma grande confusão, pois como alguém é convertido se não se entregou total e incondicionalmente s Jesus Cristo (Mt7:21), renunciando a tudo quanto tem (Lc14:33) e a própria vida (Lc14:26)?

Sabemos também, e isso afirmamos com tristeza, que um espírito de falsa profecia semelhante ao que havia em Israel na época de Jeremias, tem enganado a muitos. Naqueles dias quando o povo estava sob a condenação de Deus por causa da sua rebelião, falsos profetas diziam que havia paz com Deus, levando o povo ao engano. Este engano impedia o povo de experimentar um verdadeiro arrependimento.

“Também se ocupam em curar superficialmente a ferida do meu povo, dizendo: Paz, paz; quando não há paz.” Jr 6:14

“Assim diz o Senhor dos exércitos: Não deis ouvidos as palavras dos profetas, que vos profetizam a vós, ensinando-vos vaidades; falam da visão do seu coração, não da boca do Senhor. Dizem continuamente aos que desprezam a palavra do Senhor: Paz tereis; e a todo o que anda na teimosia do seu coração, dizem: Não virá mal sobre vós.” Jr 23:16-17

Nestes dias Deus está restaurando o entendimento do evangelho do reino, para que se cumpra a profecia de Ml 3:18 “Então vereis outra vez a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que o não serve”.

Aquele que pretende ser um convertido sem ser um discípulo, não encontrou tal pretensão nas escrituras.

Um convertido é mais que um crente. É um discípulo.

Podemos nos referir a uma pessoa que está no Reino de Deus usando qualquer um dos termos que aparecem nas escrituras, mas devemos nos acostumar a usar o termo discípulo, porque:

  • É o termo mais abrangente. Expressa com mais exatidão a realidade da vida de alguém que pertence ao Reino de Deus.
  • É o termo que Jesus, os apóstolos e os primeiros irmãos usaram. O termo discípulo aparece 260 vezes no Novo Testamento. O terno crente aparece 15 vezes.

Um Discípulo é algém qua aprende, vive o que aprende e o comunica a outros.

Obrigado pela leitura deste post. Visite a Página Inicial –CLIQUE AQUI

Gospel se abre ao rap, reggae e eletrônica em busca de renovação


Gospel se abre ao rap, reggae e eletrônica em busca de renovação

pregadorGênero que move R$ 1,5 bilhão por ano no Brasil tenta ir além das figuras tradicionais dos padres cantores

Cultuado entre lutadores de MMA, o rapper paulistano Pregador Luo lança álbum pela Universal: ‘Está todo mundo cansado de ouvir as mesmas histórias’, afirma – Marcos Alves

RIO – A fé do Pregador Luo é grande, mas não remove paredes. Encostado em uma delas, na sala de conferências da Universal, em um condomínio na Barra da Tijuca, o rapper paulistano acompanha o lançamento do braço digital do selo gospel da gravadora, o Universal Music Christian Group. Nos dois pequenos palcos improvisados no local, lotado por convidados e funcionários da empresa, as dez apostas da major — que, como outras, enxerga nesse cada vez mais lucrativo filão uma salvação do seu negócio — vão se revezando, em curtas apresentações, nas quais invariavelmente agradecem a Deus por estarem ali. Em meio ao desfile de sonoridades e palavras previsíveis, uma exceção é a dupla mineira Entre Salmos, com duas cantoras de estilo soul e agitadas coreografias de hip-hop.

— Gosto da levada moderna delas — aprova o rapper, que lança em setembro “Governe!”, seu primeiro álbum pela Universal, um CD físico, não só digital. — É uma evolução do som de artistas como Marvin Gaye, hoje representado por gente como D’Angelo.

Articulado e esclarecido, o Pregador Luo não chega a ser um novato — aos 39 anos, faz parte do grupo Apocalipse 16 e é dono de seu próprio selo, o 7 Taças, por onde já lançou, com muito sacrifício, cinco discos independentes, entre eles “Música de guerra”, de 2008, com temas criados especialmente para lutadores de MMA, em cujo meio é celebrado. Mas sua chegada, renovado, a uma das maiores gravadoras do planeta coincide com uma mudança de hábito desse universo. Marcado pela sóbria figura de padres cantores, o “rebanho” da música gospel — que movimenta anualmente em torno de R$ 1,5 bilhão no Brasil e desde 2010 tem sempre pelo menos dois artistas na lista dos mais vendidos do país — abre-se não apenas para o rap do Pregador e o r&b do Entre Salmos, mas também para a eletrônica do DJ PV e o ritmo ondulante do cantor Salomão do Reggae, entre outros exemplos.

— O gospel se firmou como uma força no mercado fonográfico. E tem buscado a renovação para atingir um número cada vez maior de pessoas — afirma Maurício Soares, diretor artístico do selo gospel da Sony Music. — Os artistas mais novos aprenderam que têm que buscar outras formas de se comunicar com o público, além daquele discurso tradicional.

Exemplo dessa adaptação aos novos tempos é o DJ PV (de Pedro Vitor, seu nome de batismo), que acaba de lançar o CD/DVD “Som da liberdade 2.0”, seu primeiro pelo Sony Music Gospel, gravado ao vivo em um ginásio em Goiânia, onde nasceu. Ex-dançarino de um grupo de hip-hop, ele começou a discotecar em 2007 e hoje, atuando também como produtor, é uma das estrelas do chamado gospel eletrônico. Seus vídeos têm milhões de acessos no YouTube, e suas apresentações incluem um robô de LED e uma guitarra Nintendo Wii (a mesma usada no popular jogo “Guitar hero”).

— Uso essas ferramentas para tornar as minhas apresentações mais dinâmicas — explica ele, fã de Swedish House Mafia e David Guetta, falando por telefone de Portugal, no meio de uma turnê pela Europa. —Tenho mostrado que é possível levar a palavra de Deus de forma atual e divertida. Acredito que isso tem ajudado a quebrar preconceitos em relação ao gospel.

A repercussão nas redes sociais do trabalho de artistas como o DJ PV tem sido usada como medida para o mercado fonográfico avaliar o alcance de suas novas “ovelhas”, como explica Fernando Lobo, gerente de A&R da Som Livre, que também tem um departamento exclusivamente dedicado a esse segmento e possuiu em seu cast artistas como o cantor André Valadão, com cinco milhões de seguidores no Facebook.

— A exposição nas redes sociais é, sem dúvida, um referencial importante para avaliarmos a evolução desse universo, que tem muitas particularidades. E com o crescimento do público evangélico, uma nova leva de artistas parece estar em busca de formas mais variadas de fazer contato e passar sua mensagem. Mesmo assim, com o amadurecimento desse mercado, há um funil pelo qual só os mais talentosos e profissionais vão passar.

Ex-vendedor de artesanato nas ruas e praias de Cabo Frio, onde mora, o cantor e compositor Salomão Rocha encontrou no ritmo jamaicano de onde tirou o nome artístico o veículo ideal para passar por esse funil e conquistar seu próprio público. Admitindo não ter um disco sequer de Bob Marley em casa, ele garante que o reggae “brotou” espontaneamente no seu coração e serviu de inspiração para que criasse as músicas que estão no seu CD/DVD de estreia, “Igual a você”, que lança até o fim do mês pelo Sony Music Gospel. A mesma busca por um lugar ao sol — ou nos céus — move as irmãs Fabiane Souza e Cássia Rodrigues, do Entre Salmos, cujo álbum “Daqui pra frente”, inspirado por Beyoncé e pela dupla americana Mary Mary, vai ser distribuído, em formato digital, pela Universal.

— Acho que está todo mundo cansado de ouvir as mesmas histórias, os mesmos discursos, sem um sabor novo — resume o Pregador Luo, fã do militante grupo americano Public Enemy. — Precisamos questionar até mesmo o conservadorismo do meio gospel para avançarmos juntos, independentemente da religião, na busca por um mundo mais justo. Deus para mim é isso.

 POR CARLOS ALBUQUERQUE

Obrigado pela leitura deste post. Visite a Página Inicial – CLIQUE AQU

Jornal Folha de São Paulo entrevista Frei Betto


HAB02 - LA HABANA (CUBA), 16/04/05.- El teólogo brasileño Frei Betto conversó con EFE en La Habana (Cuba). Betto opinó que el sucesor del fallecido Papa Juan Pablo II debe ser progresista en materia social y abrir el debate pendiente sobre temas morales, como la sexualidad o el celibato, para evitar que la Iglesia siga perdiendo fieles. EFE/Alejandro Ernesto

Jornal Folha de São Paulo entrevista Frei Betto

Confira o que o religioso católico fala sobre PT, Renúncia de Dilma, Lula, Lava Jato, Crescimento  dos Evangélicos, Ensino Religioso… e tire suas conclusões – Pr Josenildo Oliveira

Folha – Estão convocando mais uma manifestação contra Dilma para o dia 16. A principal pauta, ou uma das principais, é o impeachment de Dilma. O que acha?

Frei Betto – Eu acho que manifestação é sinal da democracia. Pena que a esquerda aprenda com a direita algumas coisas ruins que a direita faz. Deveria aprender as coisas boas –as poucas coisas boas– que a direita faz. Como convocar manifestações para domingo, não para o dia de semana, o que a esquerda tem feito [uma outra manifestação, com apoio do PT, deve ocorrer no dia 20, uma quinta]. Dia de semana? Uma burrice. Atrapalhando o trânsito, como naquela música do Chico Buarque. Não tem sentido, né? Faz no domingo, não tem escola, as pessoas podem sair de casa, estão disponíveis. Pena que a esquerda não aprenda com a direita as coisas boas.

E o impeachment?
Olha, a minha pergunta íntima hoje não é o impeachment. Eu acho que democracia brasileira está consolidada, não há motivo para impeachment. A minha pergunta é outra. É se a Dilma, pessoalmente, aguenta três anos pela frente. Eu temo que ela renuncie.

O senhor tem algum sinal disso?
Não. É puramente subjetivo. Mas temo que ela renuncie. Ou ela tem uma mudança de rota ou eu me pergunto se ela vai aguentar o baque psicológico de três anos e meio [pela frente] com menos de 10% de aprovação, com 71% dizendo que o governo é ruim ou péssimo. Isso é um sinal de que você não está agradando nada. Não adianta fazer cara de paisagem. Alguma coisa tem de ser feita. Ou ela dá uma mudança de rota, muda a receita do ajuste etc., ou ela pega a caneta e fala “vou pra casa, não dou conta”. Eu tenho esse temor.

Há um relato, publicado anos atrás pelo jornal “Valor”, de que no auge da crise do mensalão, em 2005, a Dilma, ministra da Casa Civil, teria sugerido ao Lula que renunciasse.
Eu não acredito nisso. Até porque o Lula saiu com 87% de aprovação.

Depois, né? Naquele instante, quando Duda Mendonça foi à CPI dizer que tinha sido remunerado no exterior com dinheiro de caixa dois do PT, ninguém imaginava que o Lula iria recuperar a popularidade do jeito que recuperou.
É… Se isso é verdade [a sugestão de Dilma para Lula renunciar], reforça o meu receio.

No cenário atual, que combina crise política com estagnação econômica, denúncias de corrupção e baixa popularidade de Dilma, o que mais atormenta o senhor?
O Brasil está vivendo uma notória insatisfação, não só com o governo. Insatisfação com a falta de utopias, de perspectivas históricas, de ideologias libertárias. Desde 2013, quando houve aquela grande manifestação atípica. Porque não houve nenhum partido, nenhuma liderança, nenhum discurso [em junho de 2013]. E foi uma enorme manifestação em que as pessoas protestavam, havia protesto, mas não havia proposta. Isso chamou muito a minha atenção. E quando –isso é até terapêutico– a gente entra em amargura e não vê solução, não vê saída, a gente não consegue equacionar racionalmente o que está vivendo. Não consegue buscar as causas e as perspectivas. Fica tudo no emocional. Eu tenho dito a amigos que a minha geração viveu grandes divergências políticas na ditadura, mesmo entre a esquerda, divisão se siglas de A a Z. Mas o debate era racional. Debatia-se em cima de projetos, programas, perspectivas históricas. Hoje, o debate é emocional. É como briga de casal em que o amor acabou. Equivale a acelerar o carro no atoleiro de lama: quanto mais acelera, mais se afunda na lama. Estamos vivendo isso.

E o governo?
O governo, que eu considero o melhor de nossa história republicana –os dois do Lula e o primeiro da Dilma– teve grandes méritos, como a inclusão econômica de 45 milhões de brasileiros; e teve grandes equívocos, como a não inclusão política. Ao contrário do que a Europa fez no começo do século 20, o governo do PT propiciou, ao conjunto da população brasileira, acesso aos bens pessoais, quando deveria ter iniciado pelo acesso aos bens sociais. A metáfora que utilizo é o barraco da favela. Ali dentro a família tem computador, celular, toda a linha branca, fogão, geladeira, micro-ondas, e, no pé do morro, tem um carrinho, devido à facilidade do crédito. Mas a família está na favela. Não tem saneamento, não tem moradia, não tem transporte, não tem saúde, não tem educação, não tem segurança. Resultado: criou-se uma nação de consumistas, não de cidadãos.

O senhor falou em melhor governo da história republicana e mencionou os dois mandatos do Lula e o primeiro da Dilma. E o segundo da Dilma?
Esse segundo, até agora, eu não tenho nenhuma notícia boa para dar. Eu não sei o que de positivo a Dilma fez de janeiro para cá. Gostaria que alguém dissesse. O ajuste é necessário? É necessário. Mas o ônus é só sobre o trabalhador. E fica a dúvida se vai dar certo. É um país com um mercado interno fantástico, mas que mantém a síndrome colonial de que a gente tem de ser exportador de matéria prima, que deram o nome agora de commodities. Equívocos. E o governo terceirizou a política para a troica do PMDB –Temer, Cunha e Renan– e terceirizou a economia nas mãos de um economista, o Joaquim Levy, notoriamente um eleitor do Aécio Neves. Realmente fica difícil de acreditar que esse é um projeto do PT. Nunca fui militante do partido, devo dizer isso. Também não sou fundador, como alguns dizem por aí. Sempre fui eleitor. Mas nas últimas eleições eu tenho dividido meu voto entre PT e PSOL.

O governo Lula foi um dos mais populares da história, e Dilma foi reeleita há menos de um ano. Por que o humor mudou?
Agora as pessoas estão com muita raiva porque não podem mais viajar de avião como estavam viajando; comprar ou alugar um melhor domicílio, como estavam fazendo; adquirir crédito sem juros altos; ir à feira com R$ 20 e voltar com a sacola cheia. Então a falha foi de quem? Na minha opinião, a falha foi do governo que tinha a faca e o queijo na mão para poder realizar aquele projeto mais original do PT, que era organizar a classe trabalhadora. Leia-se: dar uma consistência política à nação brasileira, principalmente às novas gerações. Isso não aconteceu.

Por que, na sua interpretação, as coisas sob o PT se desenvolveram dessa forma, a opção pela promoção do consumo, e não da outra?
Porque o PT perdeu o horizonte histórico. O horizonte que ele tinha nos seus documentos originários. De transformação, de realizar as reformas relevantes.

Mas em que instante isso se perdeu?
Ah, no momento em que chegou ao poder. Foi quando ele trocou um projeto de Brasil por um projeto de poder. Manter-se no poder passou a ser mais importante do que realizar as reformas importantes e necessárias para o país. Como a reforma agrária, a tributária, a educacional, a sanitária etc. Em 12 anos, a única reforma que nós temos é a anti-reforma política do Eduardo Cunha (atual presidente da Câmara).

Por quê o PT não fez essas reformas?
É porque tinha medo de perder aliados, não soube assegurar a governabilidade pelo andar de baixo. Procurou assegurar pelo andar de cima. Se tivesse seguido o exemplo do Evo Morales (presidente da Bolívia), que hoje tem 80% de aprovação, é o segundo presidente mais aprovado da América Latina, depois do presidente da República Dominicana. No início ele não tinha apoio nem do mercado nem do Congresso; buscou assegurar a governabilidade por meio dos movimentos sociais. Hoje ele tem apoio dos três.

Teve medo de adotar esse caminho?
Foi uma estratégia equivocada de se manter no poder. “Vamos fazer aliança com quem tem poder, nós estamos no governo”. Uma coisa é estar no governo, outra é estar no poder. Isso deu certo por um tempo. Só que há uma questão aí de classe que é arraigada na estrutura social brasileira. E de repente os setores conservadores, vendo que não há proposta, vendo que não há perspectiva histórica, resolveram avanças. É este instante. Até o Lula foi vítima agora. Não de um atentado político. Mas de um atentado terrorista. Isso [uma bomba lançada no Instituto Lula dias atrás] é um atentado terrorista. Jogar uma bomba em cima de um domicílio que está carregado de simbolismo político é um atentado terrorista. Se isso estivesse acontecido na sede do partido Democrata dos Estados Unidos –ou no escritório do Bill Clinton (ex-presidente dos EUA), uma boa comparação– no dia seguinte o mundo inteiro estaria dizendo: “Bill Clinton sofre atentado terrorista”. Evidente que a imprensa brasileira não quis dar destaque, uma certa imprensa. Por um lado alguns chegaram a insinuar que o próprio PT teria feito essa bomba para tentar vitimizar o Lula e o partido. O mais grave é isso. Não se deu o devido destaque talvez porque não interessa. Só interessa que o Lula venha a aparecer como o acusado da Lava Jato, não como vítima de um atentado terrorista.

O senhor é amigo do Lula, tem essa relação histórica. Virou alvo de hostilidades?
Uma coincidência. Eu fiz dois lançamento de livro na última semana, um no Rio, na segunda, e outro em Belo Horizonte, na terça. Nos dois o pessoal da direita foi lá para perturbar.

O que fizeram?
No Rio foi um oficial de corveta da Marinha, segundo ele, dizer que estava me levando um abraço do Olavo de Carvalho. Eu disse: “Abraço de urso, pode devolver”. Olavo de Carvalho considera a Rede Globo comunista; o papa Francisco, então, não é nem comunista para ele, é a encarnação do diabo. E no fim o cara já estava dizendo “ah, você é um frade de araque”. Aí eu falei que não admitia, falei “ponha-se para fora daqui”. Então os amigos, as amigas principalmente, enxotaram o cara. Em Belo Horizonte foi o pessoal do movimento patriota, com cartazes anti-comunistas e um livro pesadão chamado “O livro negro do comunismo”. Foram para aprontar, mas ali também a turma, meus amigos de lá, intervieram e eles não conseguiram fazer.

Ex-ministros foram xingados em restaurantes também…
Exatamente. Estamos vivendo uma onda raivosa. É por falta de consciência política da nação, de conscientização. Os partidos viraram partidos de aluguel, a política se mediocrizou e a Lava Jato está expondo os poderes de como se move o poder no Brasil, entre as benesses políticas e as conquistas econômicas.

O senhor disse que o PT, ao chegar ao poder, não seguiu o que diziam seus textos originais. O senhor classifica isso como uma traição?
Não. Não é traição.

Não?
Não. Eu considero isso um desvio de rota.

O senhor disse que não aplicou os textos originais.
Sim, é isso que eu falei. Mas traição, para mim, é outra coisa, é uma palavra que tem um peso muito grande, não se adequa ao que estou dizendo, ao meu discurso. O que considero é que houve um desvio de rota. Trocou-se o projeto de Brasil, uma mudança de estrutura. Trocou-se a reforma agrária e outras, que eram consideradas prioritárias, por um projeto de preservação no poder. Aquilo que o próprio Lula chegou a dizer na reunião com religiosos. Eu não estava nesse reunião. Ele disse: “o PT só pensa em cargos”. Ele disse a mesma coisa, mas em outras palavras. Isso eu analisei em dois livros, “A mosca azul” e “O calendário do poder”. Foi o meu balanço.

E o que seria uma traição?
Eu não sei porque você está falando em traição.

Ué, o senhor disse que não considera uma traição. No seu entender, o que configuraria uma traição?
Traição seria se o PT tivesse… chamado o FMI para administrar o Brasil. Sei lá. Se tivesse priorizado as relações com os Estados Unidos. Se tivesse deixado de fazer a Comissão da Verdade.

Eu li recentemente que o senhor teve uma conversa longa com o Lula…
Sou amigo do Lula, sou amigo da Dilma.

Sim, mas o senhor colocou para eles desse jeito?
Claro, desse jeito. Eu coloco publicamente. Eu fui lá conversar com a Dilma em 26 de novembro, com Leonardo Boff e outros. Entregamos um texto nas mãos dela. Ficamos 1 hora e 10 minutos. Estava ela e [Aloizio] Mercadante (ministro da Casa Civil).

E como eles reagem a esse tipo de crítica?
Eles aceitam. Agradecem: “obrigado por vocês terem vindo aqui, vamos ver se podem voltar em seis meses para conversar”. Mas fica nisso. E depois fazem tudo diferente. Sabe? O que você quer que eu faça? Deite e chore? Foi uma conversa ótima. Aí ela aceitou tudo aquilo, a gente falando da importância de reforma agrária, de quilombos, de povos indígenas, o papel da mulher, programas sociais, não poder fazer cortes em setores como educação e saúde. Aí respondem tudo: “é, é isso mesmo, também estou pensando…” E está lá. O texto está lá, tenho decorado na minha cabeça. Eu tenho uma boa relação com os dois [Dilma e Lula]. Eu falo tudo. Eles aceitam. O Lula também. Às vezes fala que a culpa de não é dele, a culpa é não seu de quem, é do partido, é da Dilma, é da conjuntura; e aí também fala “mas a gente também fez…”.

E continua tudo igual?
Eu tenho uma vantagem que é seguinte: eu sou um sujeito que tem poucas vaidades. Uma delas é ambição zero. Aliás eu lembrei isso pro Lula. Eu falei: “Lula, você me conheceu em 1979, o padrão de vida que eu tinha é o padrão de vida que eu tenho. Eu moro no mesmo quartinho no convento, se você quiser eu te mostro, moro no mesmo lugar, tenho o mesmo carro Volkswagem, enfim, não mudei nada. Agora, eu fico espantado com companheiros que a gente conheceu lá atrás e que hoje tem um… sabe?”. Então teve um descolamento da base. O PT perdeu os três grandes capitais que ele tinha. Que eram ser o partido dos pobres organizados –porque hoje ele tem eleitores, não tem militantes, ele tem de pagar rapazes e moças desocupadas para segurar bandeirinha na esquina, quando tinha uma militância aguerrida voluntária. Perdeu esse capital. O segundo capital que ele perdeu é o de ser o partido da ética. Não é? A ideia do “não seremos como os demais”. E o terceiro capital era o de ser o partido da mudança da estrutura do Brasil. Não fez nenhuma mudança estrutural. Fez muita coisa? Fez. Programas sociais; Bolsa Família, embora eu discorde –o Fome Zero era emancipatório, foi trocado pelo Bolsa Família, compensatório–; programas da educação; cota; Fies; uma série de coisas excelentes. Política externa nota 10, em minha opinião, mas sem sustentabilidade.

E meio ambiente?
Ah, aí faltou muito. Aí eu dou nota… seis. Defesa da Amazônia, não trabalhou suficientemente na questão do meio ambiente.

O senhor falou desse espanto da mudança dos ex-companheiros. Como vê, especificamente, o caso do ex-ministro José Dirceu?
Eu acho um abuso você prender um preso. O cara estava preso, mandaram prender novamente. Não precisava. Aquela coisa: transfere, Polícia Federal, televisão. Eu acho isso um abuso de autoridade. Embora eu ache a Lava Jato extremamente positiva –era preciso vir uma apuração da corrupção no Brasil séria como tem sido feita–, tem coisas que me desagradam. O partido mais envolvido é o PP. Mas parece, na opinião pública, que é só o PT. Segundo: por que é que vazam todos os conteúdos em relação ao PT e porque é que vazam exclusivamente para a revista “Veja”? É chamar a gente de idiota. Ou seja: há uma operação política por trás, de abuso desse processo. Que é um processo sério de apuração da corrupção no Brasil.

Mas e o caso específico do José Dirceu?
Eu nunca me pronunciei, você não vai encontrar uma palavra minha em entrevistas, nos artigos, dizendo se houve ou se não houve mensalão. Eu estou esperando o PT se posicionar. Se houve ou se não houve. E fico indignado pelo fato de o partido não se posicionar. E não se posicionar diante de uma figura tão importante do partido como ele [Dirceu]. Então não tenho meios de julgamento. Que eu sei que há corrupção na política brasileira, sei. Mas eu não tenho provas. Eu saí do governo sem perceber se havia mensalão. Saí em dezembro de 2004, o mensalão apareceu em maio de 2005. Várias pessoas me perguntaram: “você tinha algum indício?” Nenhum. Não vi nenhum indício.

Um aspecto que chamou a atenção é que o José Dirceu faturou R$ 39 milhões com a sua consultoria, parte disso no instante em que estava preso, foi um argumento para essa nova prisão, mas coincide também com aquela vaquinha para pagar a multa do mensalão.
Pois é. Eu fico indignado. Se é verdade que ele tem tantos milhões na conta, eu não posso entender como é que ele promoveu a vaquinha. Aliás, tenho amigos que contribuíram com a vaquinha. Estão sumamente indignados. Eles se sentem lesados.

O ex-presidente Lula já falou criticamente sobre o afastamento entre o PT e os movimentos sociais. Por que ocorreu isso?
Ocorre no momento em que o PT faz a opção da “Carta ao Povo Brasileiro”, no primeiro governo do Lula. Era uma carta aos banqueiros e empresários. Ali ficou sinalizado: “queremos assegurar a governabilidade via elite, não via a nossas origens, que são os movimentos sociais”. Aí cria-se o Conselhão, para o qual são chamados líderes dos movimentos sociais. Acontece que só o empresariado tinha voz e vez ali dentro. E aos poucos esses líderes [dos movimento sociais] foram todos deixando. E depois o Conselhão, que era um conselho de consulta e debate, passou a ser um mero auditório de anuência dos anúncios da Presidência. E hoje ele sequer existe. Ou seja, esse diálogo mínimo com a sociedade civil… É o que a Dilma deveria fazer. Ela deveria criar um conselho político. Porque isso não é um gesto de extrapolação. Está previsto na Constituição de 1988, está normalizado isso. O Lula fez. Não como deveria. Deveria ter sido mais democrático, o pessoal dos movimentos sociais deveria ter mais espaço, mas ele fez. Nessa crise, não adianta a Dilma passar a mão na cabeça do Temer. Ela tinha que ouvir a sociedade. Tem de sair do palácio, sair da toca.

Perde contato com a realidade?
Outro dia eu fui para Irati, no Paraná, 14º encontro de agroecologia. Eram 4.000 pequenos agricultores do Brasil. A Dilma ia. A Dilma não foi. Ela não tem ideia do que ela perdeu ali. Lá, quando eu cheguei, dizia-se que era o mau tempo. Não é verdade porque o Patrus (Ananias) foi. Então se o jatinho da FAB do ministro desceu, o jatão da presidenta poderia descer. Mas não importa. Não foi. Então ela tem de sair da toca, dar a volta por cima. Ela está acuada. Não encara a nação, não vai nos movimentos sociais.

Medo de ser vaiada?
Não pode ter medo. Uma figura pública, medo de nada. Tem de ir, se expor. Não tem como. Você é uma pessoa pública. O Lula promoveu não sei quantos daqueles conselhos nacionais de saúde, de educação. Era hora da Dilma fazer isso. Está aí o PNE, o Plano Nacional de Educação. Era para ter um debate sobre a implantação do PNE. No entanto, a notícia que a gente recebe é de cortes na educação. Ainda mais usando o lema que ela achou, “pátria educadora”. Isso tudo explica porque é tão baixa a aprovação dela.

O senhor é religioso. Que avaliação faz do avanço eleitoral e, principalmente, do comportamento da bancada evangélica no Congresso?
Penso que está sendo chocado o ovo da serpente. Uma das conquistas da modernidade, importantíssima, é a laicização do Estado e dos partidos. Essa bancada está querendo confessionalizar a política. Explico: eu sou padre ou pastor de uma igreja que considera pecado o cigarro e a bebida alcoólica; e tenho a veleidade que toda a população nem tome bebida alcoólica nem fume. Eu só tenho dois caminhos. O primeiro é converter toda a população à minha igreja; isso é impossível. Mas o segundo é possível: eu chegar ao poder e transformar o preceito da minha igreja em lei civil. Como aconteceu nos EUA nos anos 20. E eu temo que o projeto deles seja esse, de confessionalização da política. Uma forma de fundamentalismo tupiniquim, altamente perigoso.

Exemplo?
Isso vai se manifestar agora no debate sobre ensino religioso. Minha postura é simples: colégio religioso tem de ensinar religião da entidade mantenedora, se é católico, judeu ou protestante. Bom, tem muito colégio religioso que é mera empresa escolar. Aliás, os políticos mais corruptos do Brasil saíram todos de colégios religiosos. É de se pensar: que diabo andaram fazendo, que evangelização era essa? Mas, voltando, no ensino público ou no particular laico, tem de ter o ensino das religiões. Ou você pega o professor de história, que é qualificado para isso, ou você chama o padre para falar do catolicismo, o pastor para falar do protestantismo, o médium para falar do espiritismo, o pai de santo para falar do candomblé. Mas não dá para pedir para o padre contar o que é o espiritismo, porque aí vai ter preconceito. O que eles estão propondo aí é transformar os colégios em caixa de ressonância de pregações fundamentalistas, tipo criacionismo contra o evolucionismo. Isso é danoso à nossa cultura, à nossa história, à nossa religiosidade.

E, na sua avaliação, porque os evangélicos cresceram eleitoralmente?
Para entender isso é preciso recorrer a um livro do início da modernidade, fim da Idade Média, chamado “Discurso da Servidão Voluntária” (Etienne de la Boëtie, 1530-1536). Mostra como é que a cabeça de associação de pessoas é feita, de maneira que elas perdem totalmente a consciência, o livre arbítrio, e se tornam cordeirinhos de qualquer um que queira manipulá-las. É isso. Muitas igrejas transformam seus fieis em cordeirinhos que, ameaçados pela teologia do medo, acabam seguindo a voz do pastor naquilo que ele dita.

Nas últimas décadas, igrejas evangélicas tiraram, efetivamente, muitos seguidores da Igreja Católica. Basta ver o Censo. É notável também que, de maneira geral, o evangélico parece hoje bem mais militante que o católico. É praticante. Qual é a sua explicação para esse fenômeno?
Aí são dois fatores. Estudos estão mostrando isso: quando havia Comunidades Eclesiais de Base havia menos evasão para as igrejas evangélicas. Acontece que o papa João Paulo 2º e depois o papa Bento 16 fragilizaram as CEBs. Então hoje, o porteiro do prédio daqui da esquina, a cozinheira da vizinha, a faxineira, elas não se sentem bem na Igreja Católica. Se sentiriam nas Comunidades Eclesiais de Base, mas elas foram desmobilizadas pela própria igreja, com medo se ser Teologia da Libertação, influência marxista, progressista. Agora, com o papa Francisco, elas estão renascendo.

Estão mesmo? Há sinais disso?
Estão. Teve um sinal bom em 2014, em janeiro, quando teve o 14º encontro das CEBs em Juazeiro do Norte, eu estava lá, e o papa mandou um documento saudando, foi muito importante. E apareceram 73 bispos. Há muito tempo não apareciam tantos. Porque aí elas estavam no sinal amarelo –elas nunca foram condenadas–, mas estavam no sinal amarelo e agora passou para o verde. Agora, ainda você não tem o corpo, como tinha nos anos 70 e 80, de bispos que invistam nisso. Ainda não tem. Os bispos que temos aí ainda são todos os pontificado anterior: 36 anos de João Paulo 2º e Ratzinger. A segunda razão é aquilo que o papa Francisco denunciou na Jornada Mundial da Juventude. Houve uma burocratização da fé. Uso a seguinte imagem: Se você for às 3h da madrugada numa igreja evangélica, você é acolhido, tem alguém lá para te atender. Se você for às 3h da tarde numa católica, está fechada, tem uma grade, o padre não se encontra e não tem nenhum leigo autorizado, como tem nas evangélicas, para te orientar e te acolher. Não dá para competir. Eles sabem fazer um trabalho personalizado. Olha os cinemas que se transformam em templos. Sabe como eu chamo isso? A boca canibal de Deus. Né? Está ali na calçada; é só passar e ser sugado (risos). Na igreja Católica, não. São distantes. Como é que uma igreja evangélica começa? O pastor vai lá e aluga uma salinha de escritório. Põe lá uma dúzia de cadeiras, uma mesa e pronto, vira um mini-templo. E aí vai crescendo, porque o dinheiro entra. A igreja Católica deveria aprender muita coisa boa com as evangélicas.

 

Obrigado pela leitura deste post. Visite a Página InicialCLIQUE AQUI

Artigo – 26 Razões Para Parar de Ver Pornografia


26 RAZÕES PARA PARAR DE VER PORNOGRAFIA – Artigo

Consequências destrutivas que a pornografia tem sobre um homem.

As seguintes consequências são o que acontece quando um cristão vê pornografia. A lista cobre uma grande área dos resultados negativos que a pornografia tem sobre um homem que é seguidor de Jesus.

  1.  Alienação de Deus. Você não mais se sente próximo de Deus. Você não experimenta o poder de Deus. Você não mais tem a alegria de sua salvação.
  2. Cega você para as consequências. Temporariamente te desliga da sua caminhada com Deus, de seus relacionamentos com sua esposa, seus filhos e outros. Te cega sobre o que te acontecerá espiritual, física, emocional, mental, social, vocacional e relacionalmente.
  3. Cria expectativas irrealistas. Os homens começam a pensar que toda mulher deveria se parecer com aquelas e que esse tipo de relação é como seu relacionamento com sua esposa deve ser.
  4. Distorce sua visão do sexo. A pornografia te faz acreditar que o sexo é somente para o prazer do homem e que as mulheres são simplesmente objetos a serem usados, ao invés de criações de Deus que devem ser honradas e respeitadas.
  5. Nunca é o bastante. A pornografia tem um efeito crescente. Como uma droga, você precisa de mais e mais para satisfazer a lascívia. Ela te leva rapidamente a um caminho de destruição e para bem longe da paz, alegria, e relacionamentos saudáveis.
  6. Liberdade sobre o que você pensa e faz é perdida. Você se torna escravo de seus pensamentos pecaminosos que levam a atos pecaminosos.
  7. A culpa depois que você vê pornografia. Mas a culpa não é o suficiente para te prevenir de fazer na próxima vez.
  8. A sexualidade saudável é obscurecida pela pornografia. Sexo saudável é somente o sexo marital, que inclui sexo regular, sexo altruísta e sexo amoroso.
  9. Te isola e faz você se sentir totalmente sozinho e como o único que luta contra a pornografia e a lascívia.
  10. Ameaça seu relacionamento com sua esposa ou futura esposa (se você é solteiro), seu testemunho de Jesus Cristo, e tudo em sua vida que é importante para você. Você põe tudo isso em risco pela pornografia.
  11. Te mantém em um ciclo de autodestruição. A pornografia parece medicar a dor em sua vida, mas somente adiciona mais dor à dor. A pornografia te leva a fazer coisas que você nunca pensou que faria. O pecado te levará para mais longe que você gostaria. Ele te manterá mais longe que você gostaria. E te custará mais do que você gostaria de pagar.
  12. Lascívia – lascívia sexual pecaminosa – te leva a atos sexuais pecaminosos. Pornografia posta em sua mente é como colocar gasolina no fogo do desejo sexual errôneo, resultando em pensamentos e ações destrutivas.
  13. Mascara a verdadeira ferida.Você está procurando a cura e torna as coisas piores.
  14. Nunca é uma experiência neutra. Você não pode ver pornografia e não ser afetado por isso. Essa experiência é sempre inconsistente com a Palavra de Deus.
  15. Objetifica as mulheres. A pornografia as transforma em objetos sexuais. Ela sequestra a capacidade do homem de ver uma mulher mais velha como uma figura materna, uma mulher da mesma idade como uma irmã e uma mulher mais nova como a figura de uma filha.
  16. Traz um prazer muito curto, seguido por dor e mais dor.
  17. Abandonar torna-se a luta de uma vida. Uma vez que você permite que a pornografia entre, há uma batalha violenta com Satanás e com sua velha natureza para se vigiar. Uma vez que você permite que a pornografia entre em sua vida, sempre haverá uma batalha. É uma batalha vencível, mas uma batalha diária.
  18. Permanece em sua mente para sempre. Satanás mantém aquela imagem repetindo em sua mente para criar um ciclo de luxúria pecaminosa e te levar de volta à pornografia. Você se torna ligado a uma imagem, não a uma pessoa.
  19. A vergonha entra em sua vida. Culpa é sentir-se mal por algo que você fez. A vergonha, no entanto, é baseada em sentir-se mal por quem você é. A pornografia traz vergonha. Deus nunca traz vergonha. Satanás sempre traz vergonha.
  20. A confiança é perdida com as pessoas que você mais ama e respeita.
  21. Abre a porta para todo pecado sexual. A pornografia é um portal, uma entrada que traz nada de bom e tudo de doloroso, como masturbação compulsiva, desejos, práticas sexuais perigosas, visita a lugares adultos, uso de prostituição, práticas sexuais pervertida e abuso sexual.
  22. Viola mulheres. Como? Você está colocando seu selo de aprovação em uma indústria que degrada e desumaniza mulheres.
  23. Um convite para olhar para outras mulheres.
  24. Extingue a verdade. A pornografia promove a mentira. Você mente para os outros, mente para Deus e mente para si mesmo. Você mente mais para cobrir velhas mentiras. Você se torna uma mentira viva.
  25. Te liga a uma imagem. Você fica preso e ligado à imagem ao invés de sua esposa ou futura esposa se você é solteiro.
  26. Fecha seus lábios para o louvor a Deus, falar sobre sua fé, contar aos outros como eles podem experimentar Deus.
Obrigado pela leitura deste post. Visite a Página InicialCLIQUE AQUI

Artigo – Divórcio dos Filhos


divorcio-blog

ARTIGO – DIVÓRCIO DOS FILHOS

Um dia desses estava conversando com um pastor e este, quase às lágrimas, compartilhou sua tristeza com o divórcio da filha. Falou também do seu sofrimento em relação a ausência do pai de seu netinho. O quanto sofre em saber e perceber claramente a falta que o netinho sente do pai e como isto o tem afetado. Billy e Ruth Graham também experimentaram este dissabor.

Com as facilidades para o divórcio e por viver numa sociedade onde os valores são cada vez mais relativos e o estilo de vida individualista, vimos que só faz aumentar o número de divórcio em nosso meio. A igreja não está imune a este problema.

O divórcio afeta todos na família. Não somente os cônjuges e filhos sofrem com o impacto do divórcio, mas também os pais, amigos, parentes. Especialmente se os pais, amigos e parentes tem os valores cristãos como norteadores de seu estilo de vida.

Não deve ser fácil lidar com o divórcio dos filhos. Pesquisei na internet e quase nada há escrito neste sentido.

Não posso escrever, por experiência própria, pela graça de Deus. Mas creio que ouvindo histórias diversas pelas igrejas que ministramos e na própria vivência de aconselhamento e terapia, podemos dar algumas sugestões para os pais que experimentam esta triste realidade.

Pais que tem filhos passando pela experiência do divórcio devem tomar muito cuidado para não acirrar ainda mais os ânimos dos cônjuges envolvidos.

Não existe “divórcio bom”. Por mais amigável que seja, é sempre um combustível para alimentar a raiva dos cônjuges. Os pais destes devem ter muito cuidado neste sentido. Devem procurar amenizar a ira, a raiva no coração do filho ou da filha envolvida.

Por outro lado, não devem, cremos, tomar partido. Ser solidário ao filho envolvido é algo louvável, mas num divórcio há uma parcela de responsabilidade por parte de ambos. Costumamos afirmar que nos conflitos conjugais os dois estão certos e errados ao mesmo tempo. Achar que a filha é uma santa ou que o genro é cem por cento responsável pelo divórcio é uma grande inverdade.

Filhos que se divorciam, os pais devem saber que eles já são adultos. Podem sofrer com a situação, mas devem sempre lembrar que são adultos e responsáveis pelos seus atos. Suas vidas continuarão a ter um caminho próprio.

Muitas vezes, o que se vê é o filho ou a filha divorciada voltar para a casa dos pais. Esta volta pode ser uma realidade, mas antes devem considerar outras possibilidades. Um filho ou filha divorciada que volta para casa não é a mesma daquela que partiu na época do casamento. Os pais devem estar cientes deste fato.

Por outro lado, se há crianças envolvidas os avós podem ajudar, mas sabendo que não ocuparão o lugar da mãe ou do pai ausente. Devem saber que continuarão sendo avós e não pai ou mãe da criança dos pais separados.

Este amigo que teve sua filha envolvida com o divórcio e ajuda na criação do neto contou o quanto é difícil dizer sempre para o neto que ele não é o pai, mas o vovô. Deve ser muito difícil esta atitude, mas é a melhor a seguir.

Por último, jamais deixar de orar. A oração é o melhor instrumento para amenizar as dores de um divórcio no coração de todos, inclusive a dos pais dos cônjuges envolvidos.

*****
Por: Gilson Bifano

Obrigado pela leitura deste Post. Visite a Página InicialCLIQUE AQUI

Artigo – Abuso Sexual – Um Alerta


 Artigo_ABUSO SEXUAL – UM  ALERTA
abuso-sexual-de-menores

Um frio me percorre a alma e sinto uma dor no coração quando ouço ou leio a respeito de notícias sobre abuso sexual a crianças e adolescentes.

Mas isto é um fato; não temos como e não podemos fugir dele. Como psicoterapeuta ou conselheira, tenho constatado o quanto isto é concreto e sério.

Marcas indeléveis ou até mesmo incuráveis são deixadas em muitas almas de crianças frágeis, indefesas e inocentes que se tornam adultos profundamente infelizes e cheios de culpa por algo que não puderam evitar.

Torna-se cada vez mais gritante a necessidade de falarmos sobre o assunto, pois os abusos sexuais acontecem dentro de nossas próprias casas, numa proporção muito maior do que imaginamos praticados por pessoas com personalidades doentias, que podem ser empregadas domésticas, tios, padrastos, amigos próximos, avós e até mesmo pais.

Precisamos proteger nossas crianças e a forma mais eficaz é a orientação. Com linguagem simples e clara precisamos dizer a nossos filhos e filhas que ninguém tem o direito de tocar as partes íntimas de seus corpos e que beijinhos só podem ser dados no rosto.

As pessoas que abusam sexualmente das crianças geralmente são “boazinhas” demais com elas na frente dos outros; quando sozinhas, são chantagistas e ameaçadoras, proibindo a criança de falar sobre o que acontece com os outros, sob pena de passar por mentirosa. No entanto, o índice de crianças que mentem sobre esta questão é muito pequeno. Infelizmente, na maioria das vezes, é verdade e quando ela chega a falar sobre o assunto é porque está no limite do medo, da culpa e da dor.

Alguns sintomas podem ser observados e devem servir de alerta: insônia, pesadelos, medo, tristeza, déficit de aprendizagem, agressividade, problemas com a alimentação, aversão a adultos e masturbação estão entre eles.

Ao descobrir o abuso, os pais devem ter calma, mas agir. A criança vai precisar de proteção, amor e carinho. Nunca se deve criticar a criança ou acusá-la do ocorrido – ela não tem culpa. Os pais também não devem se sentir culpados, pois isso não vai ajudar em nada; se não puderem lidar com o assunto, que busquem ajuda profissional para si e para a criança, para ajudar a superar o trauma. A ABRAPIA mantém um telefone disponível para casos de denúncia: (0800) 99 0500.

Geralmente a tendência é ninguém falar nada sobre o abuso para evitar constrangimentos. Mas é necessário falar. A pessoa precisa saber que não está mais no anonimato, que precisa de tratamento psicológico ou até mesmo psiquiátrico, que o que fez não é normal, não é certo e que fez feridas profundas na vida de pessoas. É preciso coragem e determinação para falar, pois se continuar, mais cedo ou mais tarde, molestará outras crianças.

Quem sabe, se fizermos um esforço, conseguiremos enxergar muitas coisas que não queremos ver dentro de nossas casas ou de nossas igrejas.

“O que tem ouvidos para ouvir, ouça”!

Por: Psic. Elizabete Bifano

Obrigado pela leitura deste Post. Visite a Página InicialCLIQUE AQUI

Artigo – Não Posso Andar Com Isso!


NÃO POSSO ANDAR COM ISSO! – Artigo

carregando_pesosSem perceber, vamos carregando pesos que a vida nos impõem: culpas do passado, mágoas não resolvidas, medos que não vencemos, escolhas erradas que tomamos. São muitos os fardos que podem se acumular dentro de nós.

O escritor aos Hebreus manda que nos desvencilhemos dos pesos que nos impedem de corrermos a carreira que nos foi proposta por Deus. (Hb 12:1-2) Mas, como será que podemos nos desvencilhar destes pesos?

A primeira resposta pode ser encontrada no próprio verso, onde o escritor nos manda olhar firmemente para o Autor e Consumador da nossa fé, que é Cristo Jesus. Creia que Ele te capacitará a se desvencilhar destes pesos desnecessários que você está carregando.

Uma outra atitude que deve ser tomada, pode ser encontrada na história de Davi, quando este teve que enfrentar o gigante Golias. Saul, o rei, tentou colocar em Davi uma armadura que se tornou um peso para ele. Davi imediatamente tomou uma ação maravilhosa, dizendo: “Não posso andar com isto!” (I Sm 17:38-40).

Quantas são as vezes, em que pessoas ou até mesmo a vida querem colocar sobre nós fardos que não somos obrigados a carregar?

Não se resigne! Não recue! Não se submeta a estes pesos!

Faça como fez Davi, retire estes fardos e pesos do seu coração, por meio da oração, e diga bem alto: Não posso andar com isto!

Que Deus te abençoe e te guarde!

Fonte: Pr. Josenildo Santos

Artigo – Os Primeiro Anos de Casamento


OS PRIMEIROS ANOS DE CASAMENTO

casamento-diligencia-300x225Há duas coisas a respeito das expectativas que devem ser conhecidas.

As expectativas podem ser reais, geradas a partir de fatos presenciados, atitudes tomadas, experiências vividas. Desta maneira, criamos expectativas a partir daquilo que presenciamos e experienciamos. Este tipo de expectativa pode vir a ser correspondida com mais freqüência por ser baseada naquilo que é real. Um exemplo: se um filho trata sua mãe com respeito e consideração, pode-se criar uma expectativa de que ele também se torne um esposo que irá tratar sua esposa com respeito e consideração.

As expectativas também podem ser irreais que são geradas a partir de desejos, carências e necessidades da pessoa. Este tipo de expectativa pode vir a ser frustrada com muito mais freqüência do que se possa imaginar. Por exemplo: uma filha que sofreu com a ausência física e afetiva de um pai pode criar a expectativa de ter um esposo presente e carinhoso para suprir sua carência. É uma expectativa totalmente irreal e que pode não se realizar se ela vir a se casar com um homem também distante emocionalmente.

É importante saber que dificilmente alguém muda depois que se casa. Aquilo que você presencia em seu namorado/a ou noivo/a hoje é o que ele/a será amanhã. O que acontece é que as pessoas ficam tão apaixonadas que não enxergam o que é tão óbvio ou até enxergam, mas criam a ilusão de que quando casados fará a pessoa mudar. Leda ilusão! Expectativa fadada à frustração. Uma coisa é certa: as pessoas só mudam quando se dão conta de que precisam e querem mudar a si mesmas.

Todas as pessoas criam expectativas. Quando o casamento está para se concretizar, as expectativas vão sendo criadas, automaticamente, em torno da nova vida que o casal passará a ter e em torno das funções e papéis que marido e mulher irão desempenhar. As expectativas mais comuns dos novéis casais são:

O amor supera tudo.

Então, se ele deixa todas as suas coisas espalhadas pelo meio da casa o tempo todo, ela jamais reclamará disso, pois o amor será capaz de agüentar toda a desorganização dele. Ou se ela é uma péssima cozinheira, ele jamais criticará ou comparará a comida dela com a que a mãe dele fazia, porque o amor superará o paladar e a fome. Será mesmo que o amor supera tudo durante 1, 3, 5, 10, 20, 30 anos? O ideal é que assim fosse, mas a realidade do dia-a-dia da vida de casado não é assim. É preciso que os casais saibam que terão de aprender a conviver com as diferenças, com as imperfeições, com as carências e exigências do outro. Desta forma, pode-se dizer então que o amor deve suportar e relevar tudo.

Sexo a toda hora

Muitos acreditam que na lua-de-mel e nos primeiros meses de casamento, faz-se sexo algumas vezes por dia. Mas isso depende. As pessoas são diferentes umas das outras, os casais se diferem uns dos outros. Realmente, há muitos casais que se relacionam sexualmente muitas vezes, com muita freqüência, mas isto não quer dizer que todos os casais são assim. Relação sexual é desejo, afeto, envolvimento, tempo, necessidade física e necessidade emocional. E estas coisas variam de pessoa para pessoa. Sendo assim, pode-se dizer então que sexo será feito a toda hora que os dois estiverem desejando, estiverem disponíveis, estiverem precisando.

O romantismo será permanente

Esta é uma expectativa muito comum especialmente entre as mulheres. No entanto, os homens são românticos porque querem sexo e quando eles obtêm isto, o romantismo diminui muito. Há uma frase interessante que combina com isto: “Os homens dão amor porque querem sexo, as mulheres fazem sexo porque querem amor”. É uma grande verdade. Talvez seja por isso que a Palavra de Deus aos homens seja para amar suas mulheres de uma forma tão intensa como a que Cristo amou a igreja. Os homens são assim. Sem entrar na discussão do porque disto, pois envolve muitas coisas, este é um fato que precisa ser conhecido. A esposa precisa ter convicção que se após o casamento o romantismo não for tão presente quanto antes, não quer dizer que o amor do esposo diminuiu ou que ele não se importa mais com ela. Então, pode-se dizer que o romantismo será permanente, mas não tão freqüente. Vale ainda dizer que o romantismo é importante e deve ser cultivado no casamento. Cada cônjuge deve investir tempo um para o outro, deve sair para namorar. Mas é importante também saber que, se diminuir o romantismo, ele não deve jamais desaparecer, pois é um nutriente básico para manter vivo o casamento.

E viveremos felizes para sempre

Sim, a felicidade é plenamente possível, porém dentro da realidade. Todos os casais e casamentos passam por crises. Afinal, são duas pessoas completamente diferentes que passam a ter uma vida em comum, que se tornam uma só carne. Então não é de causar estranheza o fato de que as dificuldades conjugais aparecerão. Esta é a vida real, pois estórias de Príncipe e Cinderela só existem em contos de fadas. Entretanto, pode-se dizer que viverão felizes para sempre, pois apesar dos problemas que possam vir, permanecerão juntos, lutando pela felicidade.

Estes são apenas alguns exemplos acerca das expectativas do início da vida conjugal. Muitas e muitas outras são criadas pelos noivos. Quem vai limpar a casa, quem irá pagar as contas, fazer as compras, lavar a louça, trabalhar fora, educar filhos, etc., etc., etc., também são expectativas idealizadas.

É muito importante os noivos conversarem a respeito das expectativas. É preciso definir quem vai fazer o quê, o que um espera do outro no dia-a-dia da vida conjugal, qual é o papel da esposa – de acordo com o que o noivo imagina, qual é o papel do esposo – de acordo com o que a noiva imagina. E se um não concordar com o outro acerca da descrição desses papéis, devem dizer isso um ao outro. Dialogar e esclarecer é imprescindível, pois se alguém se casa com a intenção de esconder do outro quem realmente é e o que pensa a respeito das coisas, está sendo enganador e traiçoeiro. Além do mais, é extremamente frustrante ver as expectativas não sendo correspondidas. Em Provérbios 13.12 há um versículo muito interessante: “A esperança adiada entristece o coração; mas o desejo cumprido é árvore de vida”. Em outra tradução diz “a esperança não cumprida adoece o coração”. É isto o que acontece aos cônjuges que dia a dia se frustram com as expectativas não correspondidas – adoecem e fazem adoecer o casamento.

Portanto, cuidado! As expectativas são boas, pois alimentam sonhos. Porém, não se pode alimentar ou fazer alimentar esperanças falsas, irreais.

“Que tipo de esposa, dona-de-casa, amante e mãe você espera que eu seja?” É uma pergunta que a noiva pode fazer a seu noivo. “Que tipo de marido, chefe-de-família, amante e pai você espera que eu seja?” É uma pergunta que o noivo deve fazer a sua noiva. A partir daí, o casal pode ter um diálogo verdadeiro, profundo e honesto para que a expectativa de serem felizes para sempre se cumpra com mais naturalidade.

Que Deus abençoe o noivo e a noiva, para que sejam solícitos em atender as necessidades e expectativas um do outro na caminhada maravilhosa que é a vida a dois.

Por: Elizabete Bifano

Artigo_Como a Igreja Deve Esperar a Volta de Cristo


COMO A IGREJA DEVE ESPERAR A VOLTA DE CRISTO

arrebatamentoAs Santas Escrituras usam algumas figuras para descrever a Igreja do Senhor Jesus: lavoura, edifício, corpo, rebanho, casa, noiva. Esta Igreja é muito mais do que uma organização. Ela é um organismo divino, vivo, dinâmico.

Desde que o Senhor Jesus passou por esta terra estamos vivendo os “últimos dias” e a mensagem continua sendo a mesma: “em breve o Noivo voltará para buscar sua noiva”. Uma questão que deve estar bem resolvida em nossos corações: como a NOIVA deve esperar o NOIVO?

O livro do Apocalipse sugere: “Regozijemo-nos! Vamos nos alegrar e dar-lhe glória! Pois chegou a hora do casamento do Cordeiro, e a sua noiva já se aprontou. Foi-lhe dado para vestir-se linho fino, brilhante e puro. O linho fino são os atos justos dos santos” (Ap. 19:7,8).

NOIVA deve esperar o NOIVO, adornada, bela, santa, pura. O texto do Apocalipse é claro ao afirmar que a noiva adornada é motivo de grande alegria nos céus. O texto que lemos em Apocalipse nos mostra que há alegria no céu quando a NOIVA do Cordeiro está sendo adornada para as bodas. Sob a ótica celeste, os adornos não são os mármores caríssimos, nem as edificações suntuosas, nem as denominações influentes, mas as ações dos santos.

NOIVA é adornada com a fidelidade dos crentes. A NOIVA do Cordeiro é adornada para as bodas, quando crentes em Cristo decidem se envolver e se comprometer de maneira integral com o Reino de Deus (e isso passa por um comprometimento com a Igreja local – que existe para reunir os crentes salvos por toda a parte). A NOIVA é adornada quando os crentes são fiéis aos votos que fizeram a Deus. Tais votos implicam em empreender uma luta incansável e interminável contra o império da escuridão e contra sua própria vontade caída.

NOIVA é adornada com a santidade dos crentes. O linho finíssimo do qual é feito o vestido daNOIVA é composto pela seguinte matéria-prima: a santidade do crente. Adornamos a NOIVA do Cordeiro com nossos atos de justiça, retidão e santidade. Isso é mais do que ser um crente passivo, antes exige de nós atitude, ousadia e intrepidez.

As palavras seguintes são do amigo e irmão Ronaldo Lidório: “Talvez vivamos hoje dias melancólicos ao visualizar a Igreja quando manchas e mazelas tendem a levar nossa esperança para o cativeiro da desilusão crônica. A casa está mal arrumada, o vestido da NOIVA não nos parece branco, há graves rumores de que ela não ficará pronta. É, porém, em momentos assim, que Deus intervém. Lava as vestes do Seu povo, levanta o caído, renova o profeta, purifica a Igreja e nos dá sonhos de alegria. Chegará o dia, e não tarda, que seremos tomados por Jesus. Neste dia há de se dizer: ‘Eis o Noivo’, é o Senhor que conduz a Igreja. Jamais a deixou só. Como é fiel!”.

O processo de adorno da NOIVA envolve ainda: evangelismo e testemunho, frutos de um compromisso missionário; defesa da fé evangélica (ou seja, do jeito que as Escrituras dizem que deve ser a fé); comunhão sincera e perseverante com os irmãos que estão na mesma estrada da fé evangélica; firmeza doutrinária; perseverança diante das perseguições; alegria contagiante; expectativa confiante… e trabalho, muito trabalho visando uma colheita abundante.

No livro do Apocalipse encontramos o NOIVO dizendo: “Eis que venho em breve!” (22: 7,12), e o Espírito e a NOIVA dizendo: “Vem!”.

Você pode unir sua voz à voz do Espírito e da NOIVA e dizer: “Vem, NOIVO! Vem Senhor Jesus!”

Gidiel Câmara Jr

Artigo_Relacionamentos Segundo o Padrão de Deus


RELACIONAMENTOS SEGUNDO O PADRÃO DE DEUS_002

amor-casamento           Quando nos convertemos e passamos a viver o caminho proposto por Deus, assinamos um tratado de guerra contra o inimigo. O diabo faz de tudo para nos afastar do Senhor, tornando-se em uma luta diária.

25 horas por dia o diabo tentando nos afastar do Senhor.

E uma das situações mais utilizadas pelo inimigo para nos afastar da comunhão com Deus são os conflitos nos relacionamentos entre os irmãos.

Algumas perguntas importantes

  • Quem não conhece alguém que estava caminhando com o Senhor e por causa de uma chateação com um irmão ou com o pastor da igreja afastou-se do convívio da igreja e depois do Senhor?
  • Quantas pessoas não param em nenhuma congregação?
  • Quem já não teve vontade de sair do nosso convívio por causa de um determinado acontecimento?
  •  Quantos já saíram de nosso convívio por uma chateação?
  •  Quem já teve vontade de colocar um ponto final em um relacionamento de amizade por causa de um problema?

Estes irmãos a quem questionamos, primeiro se afasta do convívio da igreja afirmando que não vai deixar o Senhor, depois acaba esfriando na fé; ou sempre se chateia com alguém ou alguma coisa, ficam pulando de “galho em galho”.

Isto acontece frequentemente e tem sido uma porta por onde o inimigo tem entrado e desviado muitos cristãos do caminho do Senhor.

Então, vamos falar um pouco sobre relacionamento segundo o padrão de Deus.

Você não nasceu para viver sozinho

Seguir a Jesus implica não somente em ter relacionamento com Ele, mas também com outros que O seguem. O desejo de Deus sempre foi que o homem não vivesse só.

“Disse mais o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea” – Gênesis 2:18

Desde o início da criação Deus trabalhou para que o homem não vivesse só.

O símbolo da cruz (vertical e horizontal) representa bem o desejo de Deus; que o homem tenha relacionamento com o próprio Deus e com os seus semelhantes.

Quando começamos a congregar, encontramos uma comunidade de pessoas com as quais iremos conviver e nos relacionar e assim, temos muitas coisas em comum:

  • Mesma fé
  • Mesmo Senhor
  • Mesmo Pai
  • Mesmo Espírito
  • Mesmas lutas
  • Mesmas provas
  • Mesma esperança

Entretanto por causa das debilidades e imperfeições, tanto nossas como dos nossos irmãos, surgem conflitos e estes conflitos tentam afetar de alguma a nossa caminhada.

Diante disto – do surgimento de situações conflitantes – o inimigo aproveita para gerar em nossos corações os seguintes sentimentos:

  • Tristeza
  • Ressentimento
  • Rancor
  • Desânimo
  • Desmotivação
  • Indiferença

Diante deste quadro (conflito) temos dois caminhos diante de nós.

  1. Ou caímos no engano de achar que posso seguir ao Senhor sozinho, isolado, sem relacionamentos com irmão ou com um relacionamento superficial, formal, de faz de conta.
  2. Ou aprendemos a enfrentar a situação e, a luz da palavra de Deus, aprendendo a resolver os conflitos e me relacionar com meus irmãos.

Não existe Reino de Deus sem comunhão, sem relacionamento. Ilude-se quem acha que pode experimentar a plenitude do Reino de Deus sem relacionamento, sem comunhão ou com um relacionamento superficial, de faz de conta

Somos membros um dos outros

“Porque assim como num só corpo temos muitos membros, mas nem todos os membros têm a mesma função, assim também nós, conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros” – Romanos 12:4-5

Enganos: “Eu quero seguir a Jesus mas assim sabe, do tipo sozinho, no máximo com minha esposa e meus filhos” ou “Eu até vou para a igreja, mas este negócio de estar muito grudado, abrindo a minha vida para outras pessoas eu estou fora”.

Com todo respeito, realmente está fora do Reino de Deus!

Não existe Reino de Deus sem vida comunitária, sem relacionamento, sem vínculos.

Temos o livro de Atos como um manual deixado pelo Espírito Santo de como deve ser a vida da igreja do Senhor aqui na terra e um dos aspectos que mais se destaca naquele livro era a vida de relacionamento da igreja primitiva.

“E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações” – Atos 2:42

“Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum” – Atos 2:44

“Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração” – Atos 2:46

Não podemos desprezar este textos e se ainda não vivemos isto precisamos buscar viver

Jesus, o filho Deus, não quis ficar sozinho aqui na terra

Jesus precisava de mais alguém para fazer a obra aqui na terra? Lógico que não, mas Jesus o filho de Deus, buscou relacionamento e conviveu intensamente com homens, se relacionou com eles.

“Depois, subiu ao monte e chamou os que ele mesmo quis, e vieram para junto dele.

Então, designou doze para estarem com ele e para os enviar a pregar” – Marcos 3:13-14

Eu sei que muitas vezes trazemos conosco feridas fruto de relacionamentos desastrados no passado e isto nos deixa assustados, nos fechamos e chegamos a perder a esperança. Muitos já tiveram experiências bastante doloridas.

Muitas vezes fomos traídos, mal interpretados, incompreendidos, discriminados, preteridos, injustiçados, e a vontade que temos é de nos isolar, mas muitos destes relacionamentos se desenvolveram em bases equivocadas.

Deus deseja nos curar

Deus desejou acolher nosso coração ferido e Deus tem um novo tempo para nós. Ele estabeleceu princípios para muitas situações. Casamento, trabalho, roupa, utilização do dinheiro, educação dos filhos.

Estes modelos foram registrados pelo Espírito Santo na palavra de Deus para serem observados por sua Igreja e Deus também deixou registrado os princípios para o relacionamento entre os seus filhos. Ele estabeleceu princípios que devem nortear os nossos relacionamentos, e estes precisam se desenvolver em cima dos princípios estabelecidos por Deus.

Não vou me relacionar com meu irmão segundo a minha maneira de enxergar, mas sim, segundo os princípios estabelecidos pelo Senhor.

Somos pessoas completamente diferentes:

  • Gostos
  • Educação
  • Culturas
  • conceitos
  • Opiniões

Já imaginou se cada um quiser se relacionar com o outro fazendo valer as suas “Verdades Pessoais”?

Somos pessoas diferentes unidos por um cruz!

Sabemos que todo relacionamento é conflitante e que não existe relacionamento sem conflito.

A grande questão é: Qual a minha postura diante do surgimento do conflito?

Alguns quando se deparam com a primeira situação de conflito pulam fora, dizem que não dá para continuar, alegam que o outro é muito complicado e param por ali aquele relacionamento.

Assim vão para outro relacionamento. Quando o conflito surge, é a mesma coisa. Nunca desenvolvem relacionamentos profundos, duradouros. Vivem em cima de relacionamentos superficiais e não tem aliança.

Não se resolve um problema de relacionamento deixando de se relacionar e sim se relacionando observando os princípios deixados por Deus. As vezes criamos uma expectativa de um relacionamento, fruto da nossa imaginação, não fundamentada na palavra de Deus e isto produz frustração por não vivermos um modelo de relacionamento instituídos por nós e não por Deus.

Muitos têm uma estrutura de vida que desenvolvem um relacionamento desordenado, fora do padrão de Deus, mas somos discípulos de Jesus e estamos aprendendo com nosso Senhor.

Deus quer nos ensinar a nos relacionarmos segundo o padrão de d’Ele e este é um relacionamento que não gera peso, cobrança ou acusação.

Alguns princípios para os nossos relacionamentos

1 – Precisamos aprender a perdoar

“Então, Pedro, aproximando- se, lhe perguntou:Senhor, até quantas vezes meu irmão pecará contra mim, que eu lhe perdoe? Até sete vezes? Respondeu- lhe Jesus:Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete” – Mateus 18:21-22

Não existe um relacionamento duradouro sem a prática do perdão.

“Acautelai-vos. Se teu irmão pecar contra ti, repreende- o; se ele se arrepender, perdoa- lhe. Se, por sete vezes no dia, pecar contra ti e, sete vezes, vier ter contigo, dizendo:Estou arrependido, perdoa- lhe” – Lucas 17:3-4

Precisamos ser fáceis no perdão. Tem pessoas que remoem para perdoar alguém. Quando erram são rápidos para pedir perdão, mas quando erram com ela, para liberar perdão é um “Deus me acuda”.

O nosso perdão libera o perdão de Deus.

O finalzinho da chamada oração do Pai nosso

“e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação; mas livra- nos do mal [pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém]! Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens [as suas ofensas], tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas” – Mateus 6:12-15

Aqueles que têm dificuldades em perdoar, é bom começar a clamar ao Senhor para ser transformado porque pode ter uma ingrata surpresa quando o Senhor voltar ou o Senhor chamar.

Precisamos aprender a liberar perdão!

Precisamos olhar para os nossos irmãos e saber que estamos tranquilos, sabendo que o nosso coração está em paz com todos. Se isto não acontece precisamos resolver urgentemente.

2 – Precisamos aprender a falar com nossos irmãos

Quanta confusão já surgiu por causa de um jeito errado de falar?

Preciso falar:

  1. A) De maneira agradável

“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem” – Efésios 4:29

  1. B) De maneira branda, calma

“A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira” – Provérbios 15:1

  1. C) No tempo correto

“O homem se alegra em dar resposta adequada, e a palavra, a seu tempo, quão boa é!” – Provérbios 15:23

“Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo” – Provérbios 25:11

Deus tem uma grande notícia para nós! Podemos aprender a falar segundo o coração de Deus.

“Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino” – 1 Coríntios 13:11

Isto enche o nosso coração de esperança. Nosso Pai está interessado em nos ensinar a falar como Ele.

3 – Preciso aprender a respeitar as diferenças

Precisamos aprender a nos relacionar aprendendo a conviver com a individualidade de cada pessoa. Jesus conviveu com seus doze discípulos e respeitou o jeito de cada um.

Existem algumas questões que a palavra do Senhor nos dá liberdade para escolher. Deus mandou Adão nomear os animais e deu liberdade para ele escolher.

Existem algumas questões onde não há nenhuma ordenança clara do Senhor e aí Ficamos livres.

“Acolhei ao que é débil na fé, não, porém, para discutir opiniões. Um crê que de tudo pode comer, mas o débil come legumes; quem come não despreze o que não come; e o que não come não julgue o que come, porque Deus o acolheu” – Romanos 14:1-3

Aqui precisamos aprender com as diferenças. O único cuidado é para não causar escândalo ao irmão.

Se causar escândalo para o meu irmão eu devo abrir mão de algo até legitimo por amor ao Reino de Deus e ao meu irmão.

“Não nos julguemos mais uns aos outros; pelo contrário, tomai o propósito de não pordes tropeço ou escândalo ao vosso irmão. Eu sei e estou persuadido, no Senhor Jesus, de que nenhuma coisa é de si mesma impura, salvo para aquele que assim a considera; para esse é impura. Se, por causa de comida, o teu irmão se entristece, já não andas segundo o amor fraternal. Por causa da tua comida, não faças perecer aquele a favor de quem Cristo morreu. Não seja, pois, vituperado o vosso bem. Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo. Aquele que deste modo serve a Cristo é agradável a Deus e aprovado pelos homens. Assim, pois, seguimos as coisas da paz e também as da edificação de uns para com os outros. Não destruas a obra de Deus por causa da comida. Todas as coisas, na verdade, são limpas, mas é mau para o homem o comer com escândalo.

É bom não comer carne, nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa com que teu irmão venha a tropeçar [ou se ofender ou se enfraquecer]” – Romanos 14:13-21

Observação importante

Isto é para questões onde a palavra de Deus dá a liberdade para decidirmos, onde ela não traz um ensinamento explícito.

  • Posso ter duas mulheres
  • Não preciso estar vinculado a nenhuma congregação
  • Não preciso pagar meus impostos
  • Não preciso honrar meus pais
  • Não preciso me submeter ao meu marido
  • Não preciso devolver o meu dizimo e a minha oferta

Isto é um engano!

Naquilo que a palavra é clara minha submissão à palavra como discípulo é absoluta. Naquilo que a palavra me deixa livre para decidir, sou livre para decidir, desde que não cause escândalo a nenhum irmão que eu tenha conhecimento.

Nestes casos precisamos conviver com as diferenças

4 – Preciso aprender a ser leal nos meus relacionamentos

Leal é ser fiel, verdadeiro e sincero.

Falar a verdade em amor.

“Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros” – Efésios 4:2

Quantos relacionamentos são baseados na dissimulação, mentiras, “Meia verdades” e hipocrisia?

Quem ama fala a verdade!

Tem gente que gosta de se cercar de pessoas que não falam a verdade para ele, pessoas que na realidade são bajuladoras. Isto é um grave equívoco!

Outros se melindram com qualquer coisa que alguém fale dele, alguma critica para ajudá-lo, como se fosse uma pessoa intocável. Isto é uma burrada!

“Melhor é a repreensão franca do que o amor encoberto. Leais são as feridas feitas pelo que ama, porém os beijos de quem odeia são enganosos” – Provérbios 27:5-6

Tem pessoas que se o pastor ou discipulador falar qualquer coisa, pronto é a terceira guerra mundial, haja confusão.

Deixa eu lhe perguntar:

  • Você é uma pessoa acessível?
  • Você é uma pessoa tratável?
  • Você é uma pessoa intocável?
  • As pessoas se sentem com liberdade para repreender você?

Agora você não é a melhor pessoa para responder estas perguntas, você precisa perguntar a quem convive com você. Seu discipulador, seu conjugue, seu companheiro de obra, etc.

Pessoa leal é aquele de aliança.

Jesus tinha uma aliança de amor com seus discípulos.

“Pai, a minha vontade é que onde eu estou, estejam também comigo os que me deste, para que vejam a minha glória que me conferiste, porque me amaste antes da fundação do mundo” – João 17:24

Os discípulos eram do convívio íntimo de Jesus e Ele (Jesus) tinha uma aliança com aqueles homens.

Em João 18 quando foram prender Jesus, relata-se que Ele se apresentou aos guardas e pediu para que deixassem os seus discípulos livres. Jesus era homem de aliança. Somos seus discípulos.

Uma aliança me faz suportar a todo tipo de pressão.

Não podemos estar falando mal uns dos outros. Se tenho algo para falar, procuro o meu irmão e converso com ele.

A pessoa que fala para você de outra pessoa, amanhã vai estar falando de você para outro!

Foge de gente deste tipo

5 – Nossos vínculos são “Em Cristo”

Relacionamentos no mundo se baseiam em:

  • Gostos
  • Opiniões
  • Jeito de ser
  • Preferências

Mas relacionamentos no Reino são fundamentados em Cristo. O que nos une é a cruz de Cristo e por isto podemos nos relacionar com qualquer pessoa que tenha Jesus como Senhor de sua vida.

O Senhor está interessado que seus filhos aprendam a se relacionar entre si. Nenhum Pai gosta de ver seus filhos divididos se digladiando. Isto causa tristeza em qualquer Pai, quanto mais em Deus.

Somos discípulos de Jesus, estamos crescendo e Ele nos anima a prosseguir e a confiamos n’Ele.

“Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos! É como o óleo precioso sobre a cabeça, o qual desce para a barba, a barba de Arão, e desce para a gola de suas vestes. É como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião. Ali, ordena o SENHOR a sua bênção e a vida para sempre” – Salmos 133

Por Paulo Santiago em 07/07/2013

Artigo_A Igreja Vitoriosa


A IGREJA VITORIOSA_001

igreja-vitoriosa

 

Deus está levantando a sua Igreja, e esta igreja tem a vocação da vitória. Acima das características inerentes ao ser igreja a vitória é nossa herança garantida em Cristo Jesus.

 

1- Vitória sobre o pecado

a Igreja firmada em Cristo tem a garantia da vitória sobre o pecado, não apenas o pecado original da semente humana mas o pecado que tenazmente nos acedia no dia a dia, momento a momento. A obra da cruz rompeu com as amarras do pecado nos leva a viver uma vida santa em Cristo.

2- Vitória sobre o Diabo

Em 1 Pedro 5 :8-9 fala do Diabo como nosso adversário, que está ao nosso derredor e sobre o qual temos também a grantia da vitória, pois a obra da cruz destruiu também as obras do Diabo e a Igreja vitoriosa tem plena condição de viver sem a sua influência e domínio.

3- Vitória sobre a carne

Há uma guerra entre carne e espírito e se o homem alimentar bem o espírito com o Pão da Vida esta batalha também será ganha, nossa tendência diária é alimentar a carne, mas Deus nos convida a alimentar nosso espírito através da palavra, oração, louvor , adoração, jejum, comunhão com o corpo são alimentos sadios que nos impulsionam nesta vitória.

4- Vitória sobre o mundo

Romanos 12:2 fala que não devemos nos conformar com este século, pois o mundo em seus sistemas e atrações são inimigos da cruz de Cristo, por isso Jesus disse não ameis o mundo, pois quem ama o mundo o amor do Pai nele não está. O amor ao mundo enfraquece a vida devagarzinho e paulatinamente, vai minando as forças da fé e espiritualidade, vai destruindo os padroes de Deus e menosprezando os valores eternos. Esta vitória nos é garantida quando colocamos em Deus nosso inteiro amor e confiança, e não nos deixamos levar por este mundo.

Por Asaph Borba

Artigo_Cinco Pecados Que Cometemos e Não Nos Damos Conta


CINCO PECADOS QUE COMETEMOS E NÃO NOS DAMOS CONTA – 001

Nós que fazemos parte de uma comunidade cristã temos sempre a ciência do que podemos ou não fazer na condição de filhos de Deus em que nos encontramos. E quandovigarista se fala em pecado, sempre nos vem à mente situações padrão como fumar, matar, ver pornografia, roubar e por aí vai. O que não nos damos conta é que muitas vezes, à luz da Palavra de Deus, nós cometemos coisas que normalmente não veríamos como pecado. Mas, na verdade, são.

As situações que vamos apresentar abaixo representam algumas desses muitos ‘delitos’ que cometemos, algumas não somente no campo espiritual. Mas também em questões legais mesmo. Não queremos apresentar um libelo legalista, ou querer “julgar o próximo”. O que nós queremos é apresentar aos amados irmãos que todo erro, seja ele de menor ou de alto potencial, pode ser perdoado por Deus, desde que abandonado (Lucas 15.7,10) E todos nós estamos sujeitos a um ou mais desses pecados como esses*. Vejamos:

01 – Comprar produtos piratas

393184 09: A dealer of counterfeit pop and rap music CDs sells his merchandise August 13, 2001 on a street in New York City. Constantly keeping one eye out for the police, these wandering dealers of knock-off CDs, purses, sunglasses, watches and videos can be found by the dozens in any of the tourist districts of New York City. (Photo by Spencer Platt/Getty Images)

Este não é somente um pecado, como também um crime contra a propriedade intelectual. Quem produz algo como um filme, um CD ou um aparelho celular devidamente patenteado, tem o direito de receber os valores referentes. A pirataria tira essa possibilidade. Segundo o artigo 184 do Código Penal Brasileiro, a violação dos direitos do autor e os que lhe são conexos pode render uma pena de detenção de três meses a um ano, ou multa.  Na Bíblia está escrito: “Ai daquele que ajunta em sua casa bens mal adquiridos (…)” (Hc 2.9a). Outras versões trazem “lucros criminosos”, que é exatamente o que a pirataria traz. O que tem de ‘crente’ com caixas e cestos lotados de filmes pirateados, não é brincadeira. A criatura não tem coragem de pagar R$4 numa locadora, mas paga R$ 10 e até R$20 num DVD muitas vezes com imagem e sons ruins. E o que dizer do pastor que prega contra irmãs que pintam o cabelo ou quem escuta rock pesado, mas na imagem do data show é mostrado que o “Windows não é original”?

02 – Fazer downloads ilegais

downloadsQuem nunca baixou na net uma música em Mp3 ou um episódio da sua série favorita que atire a primeira cadeira. Como dissemos no início, todos nós estamos sujeitos a isso, que também é um crime contra a propriedade intelectual semelhante à pirataria. E nossos Pcs,pendrives e Hds externos estão cheios de material baixado ilegalmente na net. Grandes sites de compartilhamento de arquivos, como o Megaupload, chegaram a ser desativados e seus proprietários condenados a sanções até absurdas. Mas isso reflete na gravidade do crime que é cometido. Os detentores dos direitos sobre filmes e músicas deixam de arrecadar bilhões por conta dessa prática, tão comum nos dias de hoje quanto respirar. É claro, é um caso que ainda gera muita discussão. Tanto é que há movimentos, como o “Música para Baixar (MPB)” que evocam produções artísticas livres para serem compartilhadas para quem quiser.

03 – Exibir filmes restritos em um “cine gospel”

cinema021O líder do grupo jovem, na tentativa de motivar mais a galera, tem uma ideia genial: locar um ou mais filmes com temáticas cristãs para exibir na igreja durante o horário que seria para o culto jovem. E com direito a muita pipoca e refrigerante! É uma festa só e ao final, o líder tem o sentimento de satisfação e de ter contribuído com a obra de Deus. Mas o que esse gênio não se deu conta é de que isso é CRIME. Sim, queridos. Se o amado irmão parar para ler a advertência no início de todo DVD (e quase nunca alguém o faz), vai reparar que lá está descrito: “Os que têm posse dos títulos das obras proíbem expressamente a exibição pública, reprodução, distribuição, aluguel em estabelecimento diferente de locadoras assim como sua comunicação pública em centros culturais, comunidades, instituições educativas, empresas, clubes, IGREJAS, hotéis, bares, etc.etc.”. Ou seja, qualquer espaço não residencial com acesso a equipamento de vídeo, DVD ou semelhante necessita licença para exibir uma obra audiovisual e que deve ser feita pelo detentor dos direitos da obra, o distribuidor ou o produtor. E qual igreja faz isso? É claro, há obras que são produzidas especificamente para exibição em público e que não necessitam de autorização. Por isso, é preciso verificar se o filme escolhido está inserido nesse contexto.

04 – Comprar e não pagar

pagueSeu nome está no SPC ou Serasa? Se sim, você não está sozinho. Todo brasileiro já passou por isso um dia ou está passando. Mas é claro, o cristão tem por obrigação viver de forma diferente da maioria. Ser exemplo. Mas isso, dificilmente acontece. Nós compramos algo numa loja em suaves prestações e aí o salário atrasa e o orçamento fica mais apertado. Daí vem os atrasos no pagamento e quando nos damos conta, nosso nome está “sujo” na praça. E os ‘crentes’ que compram fiado na quitanda ou mercadinho, prometendo pagar “em nome de Jesus” e leva milênios para fazê-lo? A Bíblia diz: “Ai daquele que edifica a sua casa com injustiça e os seus aposentos, sem direitos! Que se vale do serviço do seu próximo, sem pagar, e não lhe dá o salário” (Jer. 22.13). Daí vem a necessidade de nos consertarmos e procurar andar na linha. E claro, quitar nossas dívidas e tirar o nome da restrição de crédito.

05 – Desrespeitar as leis de trânsito

multaAlgo tão comum em nossos dias, né? O irmão vai levar a varoa de moto ao culto, na igreja que fica a poucos quarteirões. E vai sem capacete. Ou o líder dos senhores que dirige sem usar o cinto de segurança. Ou ainda, o pior: aqueles que transitam dia e noite sem estar devidamente habilitados. Situações como essa são cometidas sem o menor pudor. Além de serem configuradas como infrações, são práticas que, à luz da Bíblia, são condenáveis. “Não há de ficar em minha casa o que usa de fraude…” (Sl 101:7a). Deus sempre é invocado tão intensamente quando o sujeito se depara com uma blitz ou viatura policial passando bem ao seu lado. E quando consegue se safar, lança dispara “Aleluia, Senhor! Obrigado, meu Deus! Glória ao teu nome, ó Jeová”. Não podemos exigir que as pessoas orem mais, que sirvam a Deus ou que sejam “ungidos e consagrados” se nós mesmos não andamos conforme as leis e conforme a Palavra. E o resultado disso pode ser catastrófico. Nossas vidas e a de outros correm sérios riscos se não respeitarmos as leis de trânsito. Se não é habilitado, matricule-se numa autoescola o mais breve possível. Se já tem CNH, cumpra com as obrigações referentes ao trânsito, dirigindo com atenção, portando os documentos e respeitando condutores e pedestres à sua volta. E se beber, que seja água, suco ou refrigerante. Certo?

Pois bem, queridos. Retomamos o raciocínio inicial de que o propósito deste post não é apontar erros, mas esclarecer. Se você comete um ou mais desses delitos (e comete mesmo), convém tomar o caminho certo. A lista de coisas ilícitas que são praticadas com extrema ignorância é longa. Há ainda os hábitos alimentares (comer até estourar), idolatria aos ‘artistas gospel’, dizer mentiras “bobinhas”, exagerar na vaidade, e etc. Vamos abordar, com ciência e à luz das Escrituras, em outra oportunidade. Que Deus abençoe a todos!

Fonte:  http://www.universogospel1.wordpress.com